7 de nov de 2014

A FEBRE ANTI-GLÚTEN

Olá... já é sexta feira novamente! Hoje decidi falar sobre outro assunto que para mim também é meio, para não dizer, bastante exagero: a febre da aversão ao glúten!!!! Novamente este assunto me chamou mais a atenção depois que vim morar em Pernambuco e passamos a “conviver” diariamente com as famosas tapiocas que passaram a serem vistas mais freqüentemente nas refeições de brasileiros por todo país! Portanto este post se refere tanto ao seu filhote como a você mamãe!

No meu vocabulário, até bem pouco tempo, a palavra glúten apenas era conhecida e entendida por doentes celíacos e suas famílias, ou seja, a pessoas que não conseguiam digerir esta proteína presente no trigo, centeio e cevada e, como tal, com grandes limitações na sua alimentação diária.

Hoje em dia o glúten está na ordem do dia pelos seus eventuais efeitos nocivos para a saúde mesmo daqueles que o conseguem digerir. O glúten também tem sido visto como um vilão para quem deseja emagrecer, daí que vem parte da minha irritação com o tema. A nova sensação do momento para conquistar um corpo mais magro e ter mais disposição é a dieta sem esses alimentos, que "promete" eliminar os quilos extras excluindo da alimentação todo alimento que contenha glúten em sua composição. Contudo, essa redução de peso não se deve a restrição do glúten e sim a exclusão de diversos alimentos do seu cardápio (pizza, biscoitos, massas e pães, etc), já que excluindo esses alimentos da sua dieta, como consequência, você acabará consumindo menos calorias e poderá eliminar peso. Concordam?

Fonte: Getty Images.

Mas então, faz ou não sentido cortar radicalmente nos alimentos ricos em glúten como o pão, massas e farinhas? Faz, logicamente, mas somente para quem precisa! Apesar da prevalência de doentes celíacos no nosso país ser muito baixa (1 a 3% da população – estima-se que temos cerca de 1 doente para cada 300 pessoas), é consensual que esta doença está subdiagnosticada. Além disso, está já reconhecida uma outra forma de intolerância ao glúten – sensibilidade/intolerância ao glúten e que se traduz nos mesmos sintomas da doença celíaca (gases, desconforto abdominal, diarreia, dores cabeça, letargia, etc).

Agora, falando um pouco mais da doença celíaca: ela geralmente manifesta-se na infância, nos primeiros três anos de vida, quando há a introdução de cereais na dieta, embora também possa surgir na idade adulta.

O glúten (que está presente no trigo, cevada, centeio e aveia) pode desencadear uma série de reações e problemas no organismo das pessoas portadoras da doença, mas os sintomas variam de acordo com o paciente e a quantidade ingerida. Nas crianças, os sintomas mais comuns são desnutrição, diarreia, retardo de crescimento e distensão abdominal.

O principal tratamento para a doença celíaca é a total exclusão do glúten da dieta. Além disto, vale ressaltar, que o dano no intestino leva tempo para ser curado. Ou seja, os sintomas podem continuar mesmo depois que um alimento com glúten estiver fora do seu sistema.

Deste modo, antes de se autodiagnosticar um doente celíaco ou intolerante ao glúten, procure um profissional habilitado, como um gastroenterologista, ele sim será capaz de confirmar a presença da doença em seu organismo e também encaminhar o tratamento adequado para cada caso, sendo a restrição total ou não destes alimentos da sua alimentação ou do seu filhote.

Ah, vale lembrar que pela Legislação do Brasil todo alimento industrializado deve conter a informação se possui ou não glúten, assim fique de olho no rótulo.

Coloquei um quadro que achei bem interessante, mas lembrem-se nada de sair por aí se automedicando ou fazendo dietas malucas. Na dúvida procure sempre um profissional habilitado!


E, mais uma vez, espero que tenham gostado!


8 comentários:

  1. Amiga! Impossível cortar o glúten aqui em casa amamos os farináceos... e eu concordo que se contar tudo que tem glutén é meio lógico que a pessoa emagrece.... hehehehe o Marcelo tem seguido a dieta dos Gracie... estou achando mega interessante porque como tu mesma já viu, ele emagreceu muito. Quem sabe estuda o caso e escreve um post sobre?
    Beijocas
    adorei :)
    Dani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dani, que bom ver um comentário teu por aqui! Acho que independente da dieta, passamos a nos sentir melhor pela sensação de menos peso, melhora da autoestima e aumento da disposição para exercícios e tal... já ouvi sobre esta dieta, mas muito pouco...vou sim investigar... está anotado na listinha das sugestões!!
      Beijao

      Excluir
  2. Pois, muito complicado uma dieta sem glúten...
    Mas obrigada pelas dicas :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que tanto esforço só vale a pena no caso de necessidade ou extremo autocontrole e motivação (para o caso de uma dieta para perda de peso).
      Abração

      Excluir
  3. Gostei muito do esclarecimento, mas eu amo massas tbm, mesmo passando mal sempre que como, gazes, diarréia, nunca fui ver com especialista, mas já ouvi até na TV que a alergia a gluten tem um de seus sintomas a má digestão, ai isso não significa que todo mundo não possa mais comer né? Gosto muito desses teus posts

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi oi...é bem normal as pessoas verem um programa na tv, falando sobre uma doença ou outra e se identificarem com os sintomas e daí partirem para uma "solução caseira". Acho que como neste caso podemos fazer certos testes, excluindo alguns alimentos para ver como nosso organismo se comporta, mas antes de fazer algo mais radical o ideal é procurar um profissional habilitado, pois a coisa não é tao simples, pois o motivo de se sentir mal, pode ser a quantidade ingerida o horário, algum acompanhamento... enfim, muitas coisas para avaliar! Que ótimo que está gostando!

      Excluir
  4. acho que como você falou
    tirar tudo é muito radical
    só mesmo pra quem precisa

    Lindo Dia
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo 100% Nanda!!! Antes de retirar tudo vale uma avaliação profunda!
      Beijao

      Excluir