24 de out de 2014

OBESIDADE INFANTIL!!!!

Bom dia... nem tanto assim... na realidade é um mau dia!!!
Hoje assisti um vídeo que me deixou apavorada e totalmente indignada (inclusive meu marido comentou que minha cara estava péssima enquanto eu estava olhando o vídeo!!!) Mas acho melhor começar contar a historia desde o início: dia 16 de outubro foi o dia dos engenheiros de alimentos (para quem não sabe eu sou uma destes), mas também foi o Dia Mundial da Alimentação, por este motivo achei interessante falar sobre a obesidade de crianças e suas principais causas, o excesso de açúcar, sal e gordura. Assim fui pesquisar mais sobre o assunto e encontrei um vídeo/documentário chamado Muito Além do Peso, que basicamente relata a história de como crianças de vários tipos de classes sociais com problemas gerados pela obesidade vivem, muitas das crianças nem sabem o nome correto das frutas e verduras. Além disto, o filme mostra dados gerados por pesquisas mundiais, é encarado como a realidade quem ninguém vê.
Assim, depois de ver o filme fiquei mais motivada ainda a escrever sobre o assunto, mas encontrei os seguintes dados alarmantes:
  1. A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) estima que o número de crianças obesas do Brasil cresceu 240% nas últimas duas décadas, assim o problema já é considerado uma epidemia mundial.
  2. A OMS (Organização Mundial de Saúde) calcula que, no mundo, uma em cada dez crianças está acima do peso.
  3. A obesidade infantil tende a se estender para a idade adulta: cerca de 40-70% das crianças que chegam à adolescência obesas se tornam obesas pelo resto da vida.
  4. Em 2010, havia 42 milhões de crianças com sobrepeso em todo o mundo, das quais 35 milhões viviam em países em desenvolvimento.
  5. 46% das crianças brasileiras de 0 a 5 anos consomem biscoitos e refrigerantes diariamente.

Acho que é consenso geral que antigamente, ver os netos gordinhos era a alegria das avós, já que ser uma criança rechonchuda e de bochechas coradas era sinônimo de criança saudável. Entretanto, hoje, a coisa mudou de figura, pois a obesidade infantil transformou-se num problema sério de saúde, numa epidemia que se alastra e já atinge parte expressiva da população nessa faixa de idade. As causas são muitas, mas pesam os hábitos alimentares baseados no fast food, salgadinhos e guloseimas e as horas passadas em frente da televisão ou jogando videogame. Mas a preocupação não é apenas com a estética, pois muitas crianças com excesso de peso apresentam alterações nos níveis de colesterol, são descriminadas pelos companheiros e alvo de brincadeiras de mau gosto (eu fui uma destas e posso confirmar).
As crianças destas novas gerações não consomem verduras, legumes, frutas nem peixes, por total falta de hábito alimentar. A esta realidade também se pode somar a ausência do hábito de tomar o café da manhã – muitos ignoram esta refeição que é a mais importante do dia e está diretamente implicada na regulação do peso. Por outro lado, os acertos na alimentação infantil acontecem quando os pais se preocupam com sua alimentação e isto reflete na formação dos hábitos alimentares de seus filhos. Pais com bons hábitos alimentares provavelmente terão filhos com bons hábitos e, desta forma, a possibilidade de que estas crianças apresentem sobrepeso serão baixas.
Assim, vou enfatizar novamente que o controle da obesidade infantil começa em casa, com refeições balanceadas, estímulo à atividade física e mudança dos hábitos alimentares de toda a família. Assim, os pais precisam entender dois pontos importantes desde cedo:
  1. Como “eles” são os formadores dos hábitos alimentares de seus filhos devem sempre dar exemplo, já que as crianças irão imitá-los por muito tempo;
  2. A comida não pode ser considerada um prêmio, nem tão pouco um castigo. A comida deve ter seu lugar, sua hora e seu controle. Novamente, os grandes responsáveis pelo sobrepeso de uma criança são seus pais, aqueles que determinam o que se consome em casa e fora dela. Normalmente, sejam pelos seus erros ou obsessões (hábitos), ou pelo desconhecimento dos pais, as crianças consomem mais quantidade de alimentos do que necessitam, optam por alimentos ricos em gordura, açúcar ou sal, presentes em grande quantidade nos alimentos industrializados.

Acho que vou parar por aqui, antes que o texto fique muito longo. Espero que eu tenha conseguido chamar a atenção de vocês para a importância que tem este assunto.
Beijos e até a próxima semana.

Ah, para quem não tiver tempo de olhar todo o vídeo Muito Além do Peso, segue o link de um resumo do mesmo (vale a pena assistir, pelo menos este!!) e também de uma explicação da quantidade de açúcares, gorduras e sal em alguns alimentos industrializados.




4 comentários:

  1. Super esclarecedora a sua matéria e fundamental para que nós mamães tenham consciencia desse perigo!

    Beijos e bom domingo

    http://meus-sonhos-meus-pesadelos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, comente quando entendemos o perigo é que passamos a confrontá-lo!!!
      Boa semana!
      Bjao

      Excluir
  2. acho muito importante
    a alimentação dos pequenos
    já eliminei varias coisas
    do nosso cardápio
    amei o post
    Linda Tarde
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
  3. Que legal Nanda... também estamos tentando eliminar algumas coisas por aqui que, com o tempo, não percebemos que passam a ser rotina e acabam nos viciando!
    Bjokas para vc tb!

    ResponderExcluir