3 de out de 2014

DESVENDANDO OS RÓTULOS

Bom dia!!!

Hoje resolvi escrever sobre um assunto meio batido, mas que muita gente tem dúvidas: rotulagem de embalagem de alimentos. De acordo com dados do Ministério da Saúde (MS), cerca de 70% dos brasileiros consultam os rótulos no momento da compra, no entanto mais da metade não compreende adequadamente o significado das informações. Sinceramente dá para escrever muita coisa sobre o assunto, dependendo do enfoque que queremos dar, mas para não ficar tão extenso resolvi colocar alguns pontos que acho importante e que espero que possa ajudar na alimentação da sua família!!

De acordo com a ANVISA, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, os rótulos devem apresentar o nome do produto, seu peso, identificação de origem e lote; prazo de validade, instruções sobre preparo e uso, valor calórico, informação nutricional e lista de ingredientes. Basicamente eles dizem que:
  • Origem e lote: indica quem é o fabricante, onde e quando foi produzido.
  • Prazo de validade: mostra até quando o produto está adequado para consumo.
  • Conteúdo líquido: quantidade total do produto na embalagem.
  • Informação nutricional obrigatória: é a tabela nutricional propriamente dita.
Sendo este ultimo item o que mais gera dúvidas, assim segue exemplo de uma tabela que poderia ser encontrada em um rótulo de uma embalagem de alimento, na sequencia estão as informações resumidas para ajudar a decifrar o que significa cada item da tabela nutricional.

Porção: a tabela nutricional indica as informações dos alimentos por porção, ou seja, na quantidade média que deveria ser consumida por pessoas sadias durante as refeições. Por exemplo: 1 colher de sopa de queijo ralado (10g) e 1 copo de suco (200 mL). 
Valor energético: é a quantidade de energia, medida em kcal ou KJ, que a porção irá fornecer. Alimentos com elevado valor calórico devem ser evitados, pois o excesso de calorias leva ao ganho de peso. 
Cuidado com esses nutrientes: ingerir muito açúcar simples (refinado), gordura saturada, gordura trans, colesterol aumenta o risco para desenvolver doenças crônicas como doenças do coração, alguns tipos de câncer, diabetes ou pressão alta. Assim, deve-se ingerir a menor quantidade possível desses nutrientes.
Abuse desse nutrientes: o consumo adequado de fibra alimentar, assim como de cálcio e vitaminas, melhora a sua saúde reduzindo o risco de desenvolver determinadas doenças.
Cuidado na ingestão de sódio: ver assunto abordado nos posts anteriores.
%VD (Percentual de valor diário): a tabela mostra quanto a porção daquele alimento contribui em energia e nutrientes em relação uma dieta de 2.000 calorias. Cada nutriente apresenta um valor diferente para calcular o seu %VD.
Veja os valores diários de referência:
Valor energético: 2000 kcal/8.400 kJ
Carboidratos: 300 gramas
Proteínas: 75 gramas
Gorduras totais: 55 gramas
Gorduras saturadas: 22 gramas
Fibra alimentar: 25 gramas
Sódio: 2400 miligramas
Gorduras trans: não há valor diário de referência.
Na prática, ele serve para dar uma noção se a quantidade do nutriente presente na porção é muito ou é pouco. Queremos que nutrientes como fibras, vitaminas e minerais tenham esse percentual mais alto (mais próximo a 100%) e que sódio e colesterol tenham percentual mais baixo (mais próximo a 0%), por exemplo.
Medida caseira: indica a medida normalmente utilizada pelo consumidor para medir alimentos. É uma quantidade padrão que ajuda bastante a entender e comparar as informações nutricionais, pois a maioria das pessoas não tem balança em casa para pesar os alimentos. Por exemplo: fatias, unidades, pote, xícaras, copos, colheres de sopa.
Listagem dos ingredientes: Os ingredientes são apresentados em ordem decrescente de quantidade. Isso significa que o primeiro ingrediente é o de maior quantidade, e o último, o de menor.Isso faz toda diferença em um produto. Vai escolher um achocolatado que comece por açúcar ou por cacau em pó? Um pão integral que comece por farinha de trigo integral ou farinha de trigo refinada?
Além disto, se você apresenta alguma intolerância ou alergia, verifique neste item se o alimento contém ou não a substância ou nutriente que deve evitar.
Deste modo, seguem algumas dicas que acho importantes enfatizar:
  • Alimentos industrializados devem ser consumidos com cautela, com atenção aos rótulos e levando-se em conta a integridade da embalagem, o prazo de validade e o selo de inspeção.
  • Da mesma maneira, é importante priorizar os alimentos minimamente processados, ou seja, cereais integrais, frutas, hortaliças, laticínios e carnes magras. Assim, provavelmente, quanto menor a quantidade de ingredientes menos processado ele será e, deste modo, terá uma menor quantidade de aditivos.
  • Produtos in natura e insumos integrais são os melhores que os industrializados, e ponto final. Para exemplificar, um pacotinho de balas pode fornecer a mesma quantidade de calorias que uma fruta. Porém, a fruta tem fibras e vitaminas que colaboram para o bom funcionamento do nosso organismo. Enquanto as balas têm apenas açúcar simples e corante artificial.
E, para finalizar, é muito importante a padronização das informações contidas nos rótulos de alimentos, mas depende de dos consumidores se antenarem para as informações contidas nestes e seu significado.

Até a próxima semana.


Nenhum comentário:

Postar um comentário