8 de dez de 2010

MODELOS MIRINS E CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS

Gostei da reportagem que li ontem no site da GNT. O texto fala sobre modelos mirins e campanhas publicitárias.

Apesar de considerarmos fofas as campanhas com crianças, temos que pensar quanto a forma que as imagens são exibidas pode influenciar o comportamento infantil.

A campanha em questão é da marca Witchery kids e mostra fotos de crianças vestidas e com atitudes de adultos. Uma ONG inglesa questionou as fotos, de acordo com o que está na reportagem:


"Noni Hazlehurst, representante do grupo britânico Barnados, disse que as crianças parecem adolescentes rebeldes. “Acho que o anúncio tem um direcionamento realmente perigoso. Acho ofensivo. A infância é um período que deve ser alegre e livre".

Penso que não seja tão ofensiva. Mas as roupas realmente ficaram muito "adultas".

Imagino as crianças com as mesmas poses e no mesmo lugar, mas com estampas mais alegres, acessórios menos femininos e mais infantis e, para completar, um sorriso no rosto, por que quem não adora um sorriso de criança? É o que sempre nos encanta nos comerciais com os pequenos.

Eu gosto das marcas que no máximo se inspiram na moda adulta para fazer a coleção infantil, nada de mini adultos.

A infância é tão curtinha. Deixem a criança ser criança.



3 comentários:

  1. Oi Dani, eu gosto de criança com cara de criança, achei essa atitude aí muito adulta mesmo... mas nada ofensiva nem que prejudique qualquer coisa na criança, só é "over" essa atitude mini adultinha fashion né não? rs rs
    beijos querida!

    ResponderExcluir
  2. Eu nao gosto dessas roupas de adultos pra crianças, nessas campanhas as crianças parecem tristes ou com raiva. nunca sorriem, sorriso nao é chique...cade as cores, desde qdo criança tem que se vestir com cor de areia? não gosto, mas a mídia nao pensa muito nisso: se a suri, a shiloh ou a apple usarem então pode. se os adultos seguem as novelas pra se vestir então a mídia tá no caminho pra vender mais. é triste...

    ResponderExcluir
  3. Oi Dani,
    também gosto de criança com jeito de criança, confortável, com liberdade para brincar, se sujar, deitar e rolar.
    Não tem necessidade de apressar as coisas. Elas vão ter muito tempo para serem adultas.
    Concordo com a Fê.
    beijos
    Chris
    http://inventandocomamamae.blogspot.com/

    ResponderExcluir