28/11/2014

DE MALAS PRONTAS I (CRIANÇADA)...

Oie... além de já ser sexta feira, já estamos no final de novembro! E hoje decidi que não iremos falar de alimentação, pois nesta época do ano as férias escolares dos pequenos estão bem próximas e, possivelmente, a sua também! Com isto, vocês devem estar programando as tão esperadas férias da família! Assim, para ajudar na tarefa de preparar as malas para a viagem, sem esquecer de nada ou ficar com a metade das roupas sem uso durante a viagem, preparei algumas dicas e lembretes para esta tarefa, já que depois da escolha do destino e da data, das marcações do hotel e do transporte, o que só falta mesmo fazer as malas.

Depois de escolhido o destino, hospedagem e tempo de permanência, a primeira coisa e mais importante antes de arrumar a mala é fazer uma listinha com os itens que vai levar na viagem. Depois vá dando OK conforme for guardando-os na mala.

Passo dois: escolher a mala adequada para viajar. É fundamental que tenha bom espaço interno, seja prática de abrir e flexível para “encaixar só mais aquela roupinha”. Neste sentido, o design campeão, principalmente para viagens de carro, é o da velha mala de mão, de preferência de náilon. A de rodinhas também é interessante, principalmente se você precisar carregá-la por muito tempo ou for viajar de avião. Para cada criança, tente levar uma mala separada.

Além disto, é sempre importante separar uma mala/mochila pequena de mão e de fácil acesso a chamada “bolsa de conveniência”. Leve no banco do carro ou a bordo do avião uma bolsa contendo itens básicos para a criança e que você necessite acessar de maneira prática. Nesta bolsa pode ter, por exemplo, duas trocas de roupas, kit higiene, água, lanche, brinquedo e remédios. Imagine precisar de algum destes itens e lembrar que estão no porta-malas ou foram despachados na hora do embarque (nós já tivemos nossas malas extraviadas durante uma viagem e esta foi a solução até que encontrassem nossa bagagem)?
Considere os dias de estadia para planejar a quantidade de roupas. Analise quantas trocas a criança geralmente requer em um dia de rotina normal. Seja o mais realista possível, e considere trajes completos (exemplo: blusa, calça e cueca/calcinha). Depois multiplique as trocas diárias pelo total de dias da viagem. O resultado deste cálculo é uma estimativa do quanto de roupa a criança precisará.

A partir desta informação, você pode optar por levar roupas a mais ou a menos. A conta serve como uma referência, para ter uma base e saber se está levando muita roupa ou não.

Essa dica também serve para cálculo de fraldas, lembrando que você pode optar por levar poucas e comprar mais no local para onde irá, caso saiba que há essa possibilidade.

Prefira sempre as roupas práticas às roupas delicadas, que pedem muito ferro de engomar, com demasiados botões, laços ou folhos. Também tente levar peças de fácil coordenação entre si (estamos de férias, não queremos ocupar o nosso precioso tempo a escolher looks perfeitos!). Para acampamento, não se esqueça de colocar roupas "para bater".

Não esqueça:
  • Documentos da criança dentro da mala: certidão de nascimento, tipo sanguíneo, carteirinha do plano de saúde ou vacinação.
  • Lençol e toalha de banho, por questão de higiene e pelo cheiro dos produtos de limpeza usados na lavagem.
  • Sabão de coco: dá para lavar as roupinhas até na pia do banheiro em uma emergência.
  • Fraldas extras, já que elas costumam ser sempre mais caras nos destinos turísticos.
  • Sacos de TNT são fundamentais para separar sapatos do resto das roupas. Mas não se esqueça de levar também os de plástico, para colocar sungas e biquínis molhados e roupas sujas.
  • Objeto de transição, aquele que seu filho não consegue dormir sem: bicho de pelúcia, cobertor, travesseiro...
  • Kit primeiros socorros: luvas descartáveis, algodão, antitérmico, termômetro, band-aid, álcool 70%, soro para o nariz, remédio para digestão e enjôo, pomada para assadura, água oxigenada, esparadrapo, remédios de uso contínuo, repetente.
  • Kit diversão: Brinquedinhos novos são interessantes justamente por serem novidades, mas também é importante levar os brinquedos preferidos e já conhecidos dos nossos filhos. IMPORTANTE: Se vai viajar de avião, uma dica é evitar brinquedos com som para não incomodar os outros passageiros.
  • Kit alimentação: Embrulhe algumas opções de lanchinho para aquela fome que bate no meio da viagem: inclua frutas como banana ou maçãs, uma bolachinha de leite e algo para beber.

Fonte

Por último, algumas dicas de outras mamães:
  • Cheque os tamanhos das roupas e sapatos dos pequenos, principalmente se o destino tem um clima ou estação do ano diferente da temperatura à qual a família está acostumada. 
  • Verifique se é fácil encontrar fraldas, papinhas e lencinhos no local escolhido. É prudente levar um pacote de cada caso você chegue tarde da noite em um lugar desconhecido, sem dominar a língua, não precisará se preocupar em achar uma farmácia aberta.
  • Hotel, pousada, apartamento, casa alugada, não importa: seja qual for a opção escolhida, cheque se haverá berço para o bebê, se há roupa de banho e cama e principalmente em que andar fica o quarto ou apartamento. Previna-se quanto à abertura de janelas e varandas. Cheque a disponibilidade de microondas e frigobar. São uma mão na roda para esquentar um leite ou uma comidinha de emergência. 
Gostaram das dicas/lembretes? Tomara que ajude na hora de fazer as suas malas!

Espero que sim, pois ao longo do mês de dezembro e janeiro estarei postando as continuações deste post com dicas para as mamães, papais e de segurança!

Beijos e até a próxima sexta-feira!


27/11/2014

"IN LOVE" POR ESTAS SANDÁLIAS

Mamys, vamos colocar os pezinhos das nossas meninas a mostra. A hora é agora porque o calor chegou com tudo. A minha guriazinha sente muito calor nos pés, e as sandálias são os sapatos que ela usa de dezembro a março, época muito quente aqui no Sul.

Estou atras de sandálias para complementar os looks da Lili, todas as roupas de princesa dela precisam de sapatos a altura! Concordam comigo?

Encontrei sandálias lindas na coleção de verão da Ortopé. Olhei, gostei, compartilhei! Qual a sua favorita?





26/11/2014

MUITOS SUSPIROS PELO ALTO VERÃO DA PAKITA

Estou suspirando pela Pakita. A grife lançou sua coleção de alto verão há alguns dias, e ao ver tantas roupas lindas não pude deixar de compartilhar com vocês as imagens do catálogo.

A Pakita faz roupas para pequenas princesas estilosas e delicadas, que sonham acordadas e são românticas. Somos apaixonadas por vestidos e saias rodadas. Tenho uma menina em casa, que se eu deixasse só teria peças assim no closet.

Olha com atenção toda a elegância da coleção Pakita. Repara nos detalhes de cada modelito. A Pakita veste meninas super bem para qualquer ocasião! Concorda comigo?

As cores e combinações dos tecidos, as estampas e materiais, a produção do catálogo, tudo está um luxinho!







24/11/2014

TENDENCINHA DO MOMENTO - LISTRAS

As estampas listradinhas estão em alta na moda adulta e estão fazendo o maior sucesso nos lookinhos das crianças também. Várias marcas brasileiras apostaram nesta estampa para o verão.

Nós curtimos muito esta modinha das listras, sejam elas retas ou tortinhas, coloridas ou bicolores, a graça desta moda é poder brincar com as linhas de forma criativa e exclusiva, cada marca coloca sua identidade nelas.

Selecionei alguns lookinhos bem fofinhos para vocês se inspirarem e criarem lindos looks para suas pequenas ou pequenos usando as litras.

Divirta-se!

Looks da Kyly

21/11/2014

DISTÚRBIOS ALIMENTARES NA ADOLESCÊNCIA

Olá!!! Já é sexta-feira e eu estou aqui novamente para falar de um assunto bem sério. Para começar vou admitir para todas vocês que eu acho ridícula aquela mulher que diz que é contra a ditadura magreza pregada pela mídia e que se diz feliz e satisfeita com o próprio corpo acima do peso!! Balela: se nos dessem a oportunidade de escolher entre um corpo magro e em forma X estar acima do peso (com "pneuzinhos", "bordas de catupiry" e roupas apertadas) eu poderia apostar qual seria a resposta de todas!!! Mas em contrapartida, não adianta de nada ser magra, definida e sarada e não ser saudável! Tendo dito isto, vamos para o tema de hoje: distúrbios alimentares. 

Os distúrbios alimentares são doenças psiquiátricas, tendo na sua origem a interação de fatores psicológicos, biológicos, familiares e socioculturais. Caracterizam-se, fundamentalmente por alterações significativas do comportamento alimentar. Ocorrem predominantemente nos países industrializados, tendo uma incidência menor nos países pouco desenvolvidos e fora do mundo ocidental, além disto, são encontrados em todas as faixas etárias, no entanto o maior número está registrado em adolescentes (eis o motivo de falarmos deste assunto hoje) e muitos daqueles que descobrem que têm um distúrbio alimentar mais tarde na vida percebe que tudo começou na sua adolescência. 

Os distúrbios alimentares podem ser classificados em dois tipos: quando você come demais e quando você come pouco. Existem muitas causas para estes distúrbios, tais como: a auto-estima, querendo caber em um grupo ou equipe, o stress, a vontade de se destacar de uma forma ou de outra e assim por diante, portanto conclui-se que os transtornos alimentares, apesar do nome, têm mais a ver com sentimentos do que com a comida.

Há três tipos de transtornos alimentares: a anorexia nervosa, a bulimia nervosa e a compulsão alimentar. Resumidamente pode-se dizer que: 
  • Anorexia: uma condição na qual a criança se recusa a comer quantidades adequadas de calorias de um medo intenso e irracional de ficar gordo. Crianças e adolescentes com anorexia têm uma imagem distorcida do corpo e vêem-se como obesos, mesmo quando eles estão perigosamente magros. Segundo o Instituto Nacional de Saúde Mental, cerca de um em cada 25 adolescentes e mulheres têm anorexia na sua vida. A maioria vai negar que eles têm um distúrbio alimentar. 
  • Bulimia: um estado em que uma criança come compulsivamente num curto espaço de tempo, sentindo-se revoltado e envergonhado depois de comer compulsivamente, retira a comida por vômito, laxantes, pílulas de dieta, diuréticos ou enemas para evitar ganho de peso. Depois de vomitar os alimentos, eles sentem-se aliviados. Como as crianças e adolescentes com anorexia, os jovens com bulimia também temem o ganho de peso e sentem-se extremamente infelizes com os seus corpos. 
  • Compulsão alimentar: é semelhante à bulimia. A ingestão descontrolada de grandes quantidades num curto espaço de tempo, até o ponto de desconforto, mas neste caso não provoca o vômito. Como resultado, eles tendem a ficar acima do peso ou obesos. 
Fonte. 

Em crianças e adolescentes, os transtornos alimentares podem se sobrepor. Por exemplo, algumas crianças alternam entre períodos de anorexia e bulimia. Uma pesquisa da Faculdade de Saúde Pública da USP, que entrevistou 1.167 alunos, com esta verificou que 12,2% dos entrevistados tinham algum tipo de comportamento de risco para transtornos alimentares, como restrição alimentar, compulsão alimentar e purgação (uso de laxantes). Além disso, constatou que 31,9% deles utilizam as chamadas práticas não saudáveis para controle do peso. Entre elas estão comer pouca comida para emagrecer, usar substitutos de alimentos como shakes e suplementos, tomar remédios para tirar o apetite e mesmo fumar cigarros. 

Independente da idade, todos os distúrbios alimentares podem levar a uma série de graves problemas físicos e até morte. Se você notar qualquer coisa estranha no seu filho/a, chame o seu médico imediatamente. Os distúrbios alimentares não são superados através de força de vontade. É importante lembrar que, independente da doença, melhores resultados ocorrem quando os distúrbios alimentares são tratados em estágios iniciais. 

Por último, a coisa mais importante para uma vida saudável é comer, pois todos nós precisamos comer para manter nossas atividades diárias, independente de que fase da vida nos encontramos. Todas as funções metabólicas do nosso corpo dependem de comer, mas não é só comer e, sim, se alimentar corretamente, abusando de alimentos nutritivos e saudáveis. Portanto, é o que sempre falo: vamos prestar mais atenção no que estamos ingerindo e ensinando aos pequenos.

Mais uma vez, espero que tenham gostado!!

Beijos e até a próxima semana.


14/11/2014

ÁGUA PARA QUE TE QUERO???

Bom dia... no post de hoje vamos falar de outro assunto mega importante: o consumo de água!!! Acho assustador aquelas pessoas que conseguem passar o dia somente com um copo de água! Hoje eu sempre ando com uma garrafinha a tiracolo, mas nem sempre fui assim, ou seja, é questão de costume!

A água no organismo humano possui grande importância, pois é a principal fonte de hidratação do corpo, proporcionando a adequação de todos os processos metabólicos do organismo, assim ela atua desde o equilíbrio da temperatura até atingir todas as células e todos os órgãos do corpo, incluindo o cérebro. Além disto, a boa hidratação infantil previne problemas intestinais e auxilia para uma melhor eliminação de excessos que o organismo apresenta. Deste modo, se possui alta relevância ao corpo de um adulto, imagine a uma criança, segue abaixo um quadro, que achei bem interessante, mostrando a quantidade de água presente no organismo humano para cada faixa etária.


Nos primeiros meses de vida, até os seis especificamente, os bebês não precisam consumir água, isso porque toda a hidratação provém do leite materno. Por isso, para que essa hidratação seja adequada, a mãe sim precisa consumir água nas proporções adequadas para um adulto, ou seja, 2 litros diários.

Para crianças acima de seis meses, que já possuem uma alimentação diferenciada ao leite materno, a água já deve ser incorporada ao seu dia-a-dia. Oferecer constantemente a bebida é muito importante, pois a criança convencionalmente não apresenta, em um primeiro momento, a vontade de ingerir o líquido. Incentivá-la a consumir ajuda a adquirir este hábito.Também é possível verificar alguns sinais que mostram que os jovens estão bem hidratados, como saliva bem fluida, língua e lábios úmidos e urina clara.

A quantidade oscila de acordo com algumas variáveis. Por exemplo: nível de atividade física praticado, idade e composição da refeição, pois existem alimentos ricos em água - frutas, como melancia e melão, por exemplo - que podem contribuir para o consumo diário. Mesmo assim, é bom ter uma quantidade em mente para tentar nos adequarmos, de acordo com a Dietary Reference Intakes (as DRIs são um grupo de 4 valores de referência de ingestão de nutrientes e vem sendo publicadas nos EUA e podem ser usadas para planejar dietas, definir rotulagem e planejar 
programas de orientação nutricionais):
  • Crianças de 1 a 3 anos devem ingerir em média 1300mL.
  • Crianças de 4 a 8 anos devem ingerir em média 1700mL.
  • De 9 a 10 anos – 2100mL.
Vale lembrar outras formas para estimular a boa hidratação dos pequenos no verão:
  1. Inclua mais frutas nas refeições principais e nos lanches, como melancia, melão, laranja e abacaxi.
  2. Aromatize a água (folhinhas de hortelã, rodelas de limão, casca de frutas, como: abacaxi, maçã, laranja).
  3. Deixe a criança preparar seus shakes de frutas e água.
  4. Coloque uma garrafinha de água na mochila da escola.
  5. As crianças imitam os adultos, principalmente os pais. Por isso, dê o exemplo e beba água, várias vezes ao dia, em frente dos seus filhos.
  6. Mantenha sempre uma garrafa de água com você, caso a crianças fique com sede na rua.
  7. Varie a oferta de líquidos. Além da água, ofereça água de coco, chá gelado e suco de fruta natural. MAS NUNCA, NUNCA MESMO OFEREÇA REFRIGERANTE!!!!!!
  8. Pode-se acrescentar essa tarefa na lista de deveres da criança, por exemplo, entre escovar os dentes, colocar os sapatos no lugar, fazer a lição de casa, pode-se incluir a tarefa beber 2 copos de água”. Atenção: essa tarefa deve ser combinada e não imposta, para não causar rejeição e associação com algo negativo pela criança. Os pais podem brincar, “sua tarefa é tomar 2 copos e a minha 4 copos”. A criança também pode cobrar os pais nessa tarefa e, ao mesmo tempo, estará prestando atenção no seu próprio consumo.

 Fonte. 

E aí, vamos começar a prestar atenção na quantidade de água que tanto os pequenos e como nós estamos ingerindo???

Beijos e até a próxima semana.


12/11/2014

VIDEO DO MAKING OFF DA PAKITA

O video do making off da Pakita está lindo! Merece muitos compartilhamentos, eu quando olhei gamei no mesmo instante.

Muitas modelinhos lindas, com uma coleção incrível, mega fashion, bem do jeito que a gente gosta! Assista....

11/11/2014

LOOKINHO COM ALPARGATINHAS

Tô falando pra vocês, as alpargatas farão o maior sucesso entre as mamys e as crianças neste verão. Eu já mega aprovei esta tendencinha e agora a Lili provou e amou. Olha a expressão no rostinho dela com o presentão que recebemos da Ortopé esta semana.

O lookinho mega fofo é Sonho Mágico, que em breve deverá ter disponível na Amei Demais, as alpargatinhas são da Ortopé.

Gente, as estampas da bermuda e do sapato não combinam como deveriam, mas é a Lili que escolhe o que vai calçar, portanto ela colocou e eu disse ok.



07/11/2014

A FEBRE ANTI-GLÚTEN

Olá... já é sexta feira novamente! Hoje decidi falar sobre outro assunto que para mim também é meio, para não dizer, bastante exagero: a febre da aversão ao glúten!!!! Novamente este assunto me chamou mais a atenção depois que vim morar em Pernambuco e passamos a “conviver” diariamente com as famosas tapiocas que passaram a serem vistas mais freqüentemente nas refeições de brasileiros por todo país! Portanto este post se refere tanto ao seu filhote como a você mamãe!

No meu vocabulário, até bem pouco tempo, a palavra glúten apenas era conhecida e entendida por doentes celíacos e suas famílias, ou seja, a pessoas que não conseguiam digerir esta proteína presente no trigo, centeio e cevada e, como tal, com grandes limitações na sua alimentação diária.

Hoje em dia o glúten está na ordem do dia pelos seus eventuais efeitos nocivos para a saúde mesmo daqueles que o conseguem digerir. O glúten também tem sido visto como um vilão para quem deseja emagrecer, daí que vem parte da minha irritação com o tema. A nova sensação do momento para conquistar um corpo mais magro e ter mais disposição é a dieta sem esses alimentos, que "promete" eliminar os quilos extras excluindo da alimentação todo alimento que contenha glúten em sua composição. Contudo, essa redução de peso não se deve a restrição do glúten e sim a exclusão de diversos alimentos do seu cardápio (pizza, biscoitos, massas e pães, etc), já que excluindo esses alimentos da sua dieta, como consequência, você acabará consumindo menos calorias e poderá eliminar peso. Concordam?

Fonte: Getty Images.

Mas então, faz ou não sentido cortar radicalmente nos alimentos ricos em glúten como o pão, massas e farinhas? Faz, logicamente, mas somente para quem precisa! Apesar da prevalência de doentes celíacos no nosso país ser muito baixa (1 a 3% da população – estima-se que temos cerca de 1 doente para cada 300 pessoas), é consensual que esta doença está subdiagnosticada. Além disso, está já reconhecida uma outra forma de intolerância ao glúten – sensibilidade/intolerância ao glúten e que se traduz nos mesmos sintomas da doença celíaca (gases, desconforto abdominal, diarreia, dores cabeça, letargia, etc).

Agora, falando um pouco mais da doença celíaca: ela geralmente manifesta-se na infância, nos primeiros três anos de vida, quando há a introdução de cereais na dieta, embora também possa surgir na idade adulta.

O glúten (que está presente no trigo, cevada, centeio e aveia) pode desencadear uma série de reações e problemas no organismo das pessoas portadoras da doença, mas os sintomas variam de acordo com o paciente e a quantidade ingerida. Nas crianças, os sintomas mais comuns são desnutrição, diarreia, retardo de crescimento e distensão abdominal.

O principal tratamento para a doença celíaca é a total exclusão do glúten da dieta. Além disto, vale ressaltar, que o dano no intestino leva tempo para ser curado. Ou seja, os sintomas podem continuar mesmo depois que um alimento com glúten estiver fora do seu sistema.

Deste modo, antes de se autodiagnosticar um doente celíaco ou intolerante ao glúten, procure um profissional habilitado, como um gastroenterologista, ele sim será capaz de confirmar a presença da doença em seu organismo e também encaminhar o tratamento adequado para cada caso, sendo a restrição total ou não destes alimentos da sua alimentação ou do seu filhote.

Ah, vale lembrar que pela Legislação do Brasil todo alimento industrializado deve conter a informação se possui ou não glúten, assim fique de olho no rótulo.

Coloquei um quadro que achei bem interessante, mas lembrem-se nada de sair por aí se automedicando ou fazendo dietas malucas. Na dúvida procure sempre um profissional habilitado!


E, mais uma vez, espero que tenham gostado!


05/11/2014

ALPARGATINHAS

Mamys, neste verão teremos um modelo novo de sapato para incluir na sapateira das nossas babys meninas. Além das sapatilhas, tênis, sandálias e chinelos, as alpargatas vem da moda adulta para o universo infantil, e são uma opção bem bacana na hora de escolher o sapato da sua menina. Fácil de combinar e fresquinha como pede a estação.

Você vai ver uma variedade enorme de alpargatas nas lojas. Tem modelos como o que a Ortopé lançou (veja nas imagens) de couro com o cabedal de alpargatas mas sem a sola e palmilha feitas de corda. Tem variações mais tradicionais como os de loninha estampada costurados na palmilha de corda, e tem também aquelas opções com uma cordinha colada na lateral.... enfim a variedade é grande, e todas são alpargatas modernas! Versões atualizadas deste estilo.

Escolha a sua favorita e calce esta moda também.