24 de jul de 2015

SUBSTITUIÇÃO DE ALIMENTOS

Bom dia!
O post de hoje resolvi falar a respeito substituições de alimentos, mas juro que esta semana vou tentar ser bem sucinta!! Assim, por exemplo, se seu filhote não gosta de todos os alimentos (por enquanto!!). Se ele não come uma verdura, você pode substituí-la por outra que tenha os mesmos nutrientes. Assim, hoje temos um quadro que mostra como fazer as trocas em casa, além disto, no mesmo tem dicas de onde o ingrediente substituto pode entrar.

Fruta
Substituto
Dica de uso
Maçã
Pera, laranja e goiaba também são ricas em fibras (as duas últimas contêm maior quantidade de vitamina C).
Duas opções: misture na salada ou faça um suco com a fruta preferida.
Abobrinha
Abóbora japonesa, moranga, chuchu e berinjela também
são fonte de minerais.
Coloque-os no meio de uma lasanha ou misturados na carne moída.
Brócolis
Assim como o brócolis, a couve-flor, a couve e o repolho agem na prevenção contra o câncer.
Refogue e misture no arroz ou no espaguete (tipo yakisoba) ou sirva cozido com molhos.
Banana
Mamão, abacate e morango também ajudam a regular as taxas de colesterol.
Bata com leite ou faça doces, como compotas de banana e de mamão ou torta de morango.
Couve
Como a couve, o espinafre, a acelga e a escarola aumentam as defesas do organismo.
Prepare omeletes, suflês, recheios de panquecas ou misture-os à massa do nhoque
Mas não esqueça: o ideal é que os alimentos não sejam "escondidos" dos seus pequenos e eles saibam o que estão ingerindo! Pode ser uma boa alternativa no momento, mas repense a estratégia a longo prazo!


17 de jul de 2015

CRIANÇAS OBESAS

Bom dia pessoal,
na semana passada estava no RS e li uma reportagem no jornal local publicando alguns dados a respeito de uma pesquisa realizada na cidade de São Leopoldo, que pertence a região metropolitana de Porto Alegre. Assim, resolvi que este seria o tema do post de hoje.

A pesquisa foi baseada em um guia publicado pelo Ministério da Saúde, os Guia Alimentar de Como ter uma Alimentação Saudável, nesta foi constatado que de uma amostra de 847 estudantes do primeiro ano, ou seja, crianças entre 7 e 8 anos, 38,7% já apresentavam excesso de peso. Gente, este percentual é muuuuuuuito alto!!! Além disto, disto, a pesquisa também revelou um ponto que sempre falo aqui, que atrelado ao padrão de alimentação de cada estudante, o conhecimento da mãe é importante para a qualidade do que é servido aos pequenos. Assim, é necessário divulgar cada vez mais a necessidade e a importância de uma alimentação saudável deste cedo!



Tendo disto isto, o Guia Alimentar (o primeiro foi publicado em 2006 e em 2014 este teve uma revisão, coloquei no link para que possam acessar e ler na íntegra) faz um resumo de 10 Passos para uma Alimentação Saudável, onde estas representam uma síntese do guia para a população brasileira. Assim, segue abaixo um resumão e, vocês irão notar, que estamos "batendo nesta tecla" aqui no blog há um bom tempo!
  • Passo 1. Faça pelo menos três refeições (café da manhã, almoço e jantar) e dois lanches saudáveis por dia. Não pule as refeições.
  • Passo 2. Inclua diariamente seis porções do grupo de cereais (arroz, milho, trigo, pães e massas), tubérculos como as batatas e raízes como a mandioca/macaxeira/aipim nas refeições. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na sua forma mais natural.
  • Passo 3. Coma diariamente pelo menos três porções de legumes e verduras como parte das refeições e três porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.
  • Passo 4. Coma feijão com arroz todos os dias ou, pelo menos, cinco vezes por semana. Esse prato brasileiro é uma combinação completa de proteínas e bom para a saúde.
  • Passo 5. Consuma diariamente três porções de leite e derivados e uma porção de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis!
  • Passo 6. Consuma, no máximo, uma porção por dia de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina. Fique atento aos rótulos dos alimentos e escolha aqueles com menores quantidades de gorduras trans.
  • Passo 7. Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas doces e outras guloseimas como regra da alimentação.
  • Passo 8. Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa. Evite consumir alimentos industrializados com muito sal (sódio) como hambúrguer, charque, salsicha, lingüiça, presunto, salgadinhos, conservas de vegetais, sopas, molhos e temperos prontos.
  • Passo 9.  Beba pelo menos dois litros (seis a oito copos) de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.
  • Passo 10. Torne sua vida mais saudável. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias e evite as bebidas alcoólicas e o fumo. Mantenha o peso dentro de limites saudáveis.

Listados os passos, agora vem as outros resultados PREOCUPANTES do estudo: 
  • NENHUM escolar atingiu o Passo 7, que recomenda evitar , no dia a dia, consumo de refrigerantes sucos industrializados, biscoitos doces e recheados doces e outras guloseimas.
  • Somente 2%, atingiram o Passo 6, que preconiza evitar o consumo de alimentos de alimentos gordurosos e frituras.
  • Somente 10% dos escolares atingiram o Passo 10, que recomenda que a criança seja ativa fisicamente e evite ficar muitas horas na frente da TV ou dos games.
  • Somente 37,8% da amostra estava em conformidade com o Passo 3, que indica o consumo diário de fritas e verduras.
  • Mas nem tudo é péssimo (tem uma noticia boazinha), 97% atingiram o Passo 4, cuja recomendação é ingerir arroz e feijão todos os dias.


É gente, a coisa esta feia, se as coisas não começarem a mudar logo,
logo o futuro será bem pesado!






10 de jul de 2015

SEU FILHO BEBE ÁGUA SUFICIENTE?

Bom dia,

já falamos sobre o consumo de água aqui, mas li esta reportagem semana passada e o que me chamou a atenção foi a seguinte estatística americana: mais da metade das crianças e adolescentes no país não bebe água o suficiente"(Fonte: American Journal of Public Health). Achei a noticia alarmante e resolvi chamar a atenção para o assunto novamente! E tem outra ainda PIOR: Pesquisadores constataram que cerca de uma a cada quatro crianças nunca bebe água “pura”, apenas outros líquidos, como sucos e refrigerantes.


Normalmente, mães e pais se preocupam em manter as crianças hidratadas no verão, mas se descuidam durante o inverno. É claro que o risco de desidratação durante as altas temperaturas é maior, uma vez que o calor faz com que as pessoas transpirem mais e, consequentemente, eliminem mais água do organismo. Porém, no inverno, a transpiração também acontece, só que por meio de outros mecanismos. O uso de aquecedores, que tem se tornado cada vez mais comum, contribui para isso, sem contar que deixa o ar mais seco.

Como a água é um elemento essencial na maioria dos processos do metabolismo, a falta de hidratação adequada pode causar prejuízos, tanto nos sistemas circulatório e excretor até na regulação da temperatura do corpo. Nos casos extremos de desidratação, há possibilidade de crise convulsiva e óbito.

Para saber se a criança está bem hidratada, a melhor maneira é observar a urina, avaliando a cor, o volume e a frequência com que seu filho vai ao banheiro. O ideal é que o xixi seja claro, abundante e eliminado muitas vezes ao longo do dia. Outro sinal é observar a mucosa da boca, já que saliva tem que estar fluida, líquida, não espessa, como um chiclete. Olho encovado (conhecido como “olho fundo”) com pouco brilho e choro sem lágrimas também serve de alerta.

SOMENTE SUCO NÃO VALE!!! Hoje, as pessoas estão substituindo a água por outros líquidos, que contêm grande quantidade de sais e glicose, como os sucos. Deste modo, as crianças não querem beber água porque ela não tem sabor e, entramos o circulo vicioso, pois os pais passam a ofertar outros líquidos, e a água fica, novamente para trás. Por sua vez, a criança percebe que os sucos são mais doces, saborosos e então param de tomá-la.

Algumas dicas podem ajudar seu filhote a se manter sempre hidratado:
  1. Esta dica é a velha de sempre: a família deve dar o exemplo. Se os pais estão acostumados a ingerir água, a criança também vai aprender;
  2. A criança não vê muita graça em parar a brincadeira para se hidratar (principalmente as pequenas), por isso é preciso oferecer o líquido regularmente ao longo do dia;
  3. Na hora do almoço ou do jantar, a criança normalmente acaba se satisfazendo com o suco em vez de comer, porque é mais fácil e doce. Para não prejudicar o apetite, melhor oferecer líquidos entre as refeições;
  4. Deixe sempre uma garrafa d’água à mão: seja na bolsa, no carro, na sala de brincar ou no quarto da criança.
E agora qual é a resposta para a pergunta: SEU FILHO BEBE ÁGUA SUFICIENTE?


3 de jul de 2015

ATITUDES QUE PODEM ATRAPALHAR A ALIMENTAÇÃO DOS SEUS PEQUENOS

Bom dia, 
li uma reportagem na revista Crescer que achei muito interessante, na realidade já falamos de um assunto parecido em um dos primeiros posts, assim resolvi meio que adaptar e repostá-la.Com uma alta gama de alimentos industrializados sendo oferecida atualmente, os maus hábitos alimentares podem dar as caras mais cedo do que nunca, mas não é somente o aumento do consumo de industrializados, sejam eles alimentos ou bebidas. Assim, abaixo tem uma lista com os erros mais comuns cometidos pelos pais no que diz respeito à alimentação dos filhos,mas tem também algumas dicas de como evitar esses erros.

Ausência de rotina

O nosso organismo funciona em ciclos, ou seja, há momentos em que sentimos fome, sono... O dia a dia na vida em sociedade se adaptou a tais necessidades. E, assim como é preciso ensinar a criança a dormir nos horários certos, uma rotina alimentar também deve ser estabelecida para o bem-estar do seu filho. Até porque, ele ainda não sabe discernir que o incômodo que está sentido é fome ou sono, por exemplo, o que pode deixá-lo irritado e ansioso.

Muitos lanches entre as refeições
Às vezes, o motivo que faz com que a criança não coma na hora do almoço é o fato de petiscar a manhã inteira. O ideal é se alimentar de três em três horas, como você já deve ter ouvido. Assim, além das refeições principais, seu filho precisa de um lanche no período da manhã e outro à tarde. Mas sem exageros: os lanches são apenas combustíveis para ele aguentar até a próxima refeição. Se comer demais, nunca saberá quando está com fome ou satisfeito, o que pode levar à obesidade ainda na infância.

TV, tablet, celular e outras distrações à mesa
Muitos pais fazem qualquer coisa por mais uma colherada. Acontece que, se estiver entretida com outras atividades na hora do almoço, sejam jogos ou desenhos, a criança não saberá o que e quanto está comendo. Isso sem falar nas inúmeras propagandas de fastfood e comidas industrializadas às quais ela será exposta na TV e na internet. Pesquisas mostram, aliás, que o risco de obesidade é proporcional ao tempo dedicado à TV e outras telas..

Porções exageradas
O estômago, quando vazio, aproxima-se ao tamanho do nosso punho fechado. Por isso, nada de encher demais o prato do seu filho e obrigá-lo a comer tudo. Pode até caber, mas ele se sentirá desconfortável ao final. E o que é pior: isso atrapalha a percepção dele de saciedade. Já os maiores, a partir dos 6 anos, podem ser incentivados a servir o próprio prato. A prática faz com que se comprometam a comer o quanto eles mesmos serviram.

Tomar líquido durante as refeições
Se encher o estômago com líquido antes de comer, seu filho não irá ingerir o que precisa para se desenvolver com saúde. O motivo é simples: não há espaço ali para tudo isso. O ideal é deixar a bebida (água, de preferência) para o final. Até porque, se tiver o hábito de beber líquidos ao longo do dia, ele dificilmente terá sede justo na hora do almoço ou do jantar. Outro problema é que o líquido ajuda a “empurrar” o alimento para dentro, interferindo na mastigação e, por consequência, na digestão.

Comer sozinho
Inúmeros estudos comprovam os benefícios das refeições em família. Um deles, da Universidade Estadual de New Jersey (EUA), sugere que as crianças que comem mais vezes com os pais tendem a consumir mais vegetais, vitaminas e fibras e têm o IMC (Índice de Massa Corporal) mais saudável, por exemplo. Por isso, o hábito já pode ser incentivado desde cedo, quando o bebê ainda se alimenta no cadeirão.

Falta de atenção
Se a criança faz birra para comer, há chances que queira chamar a atenção dos pais. Antes de brigar ou simplesmente ignorar, é preciso descobrir o que está por trás do comportamento: rotina desorganizada, angústia por conta de algum desafio ou mesmo falta dos pais?

Leite em vez de comida
Caso a criança rejeite o almoço, nada de oferecer leite (ou outra coisa que ela queira comer) na sequência. Explique que o lanche será somente dali a três horas. Do contrário, ela vai entender que pode substituir a refeição pela mamadeira automaticamente. Tenha em mente que, se ela tem fome o suficiente para tomar o leite, então, é porque está com fome. Portanto, uma hora tem de comer.

Pouca variedade
Todo mundo enjoa de comer a mesma coisa sempre. Um prato colorido, além de nutritivo por conter uma maior diversidade de vitaminas, é mais atraente ao paladar. Isso não significa que você tenha de fazer desenhos com os legumes diariamente. Mas que tal incrementar algumas receitas com substituições saudáveis (iogurte natural por creme de leite, por exemplo) para variar o cardápio? Outra medida que funciona é levar seu filho à feira ou ao supermercado para ajudar na escolha das frutas e vegetais, aumentando as chances de ele provar alimentos diferentes.



26 de jun de 2015

LEGISLAÇÃO: ALERGÊNICOS

Bom dia, 
o papo de hoje é sobre mais um assunto que cada vez vem ganhando mais destaque devido a sua importância: a necessidade de uma rotulagem que deixe mais clara a presença de alimentos que causem alergia (como leite, soja, ovo, trigo) nos alimentos industrializados. Além disto, há também a determinação, por parte da Justiça, para que sejam destacados ingredientes alergênicos em medicamentos, produtos de higiene pessoal e cosméticos (o que não é o nosso foco aqui).

Uma pesquisa de 2009 da Unidade de Alergia e Imunologia do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP) mostra que 39,5% das reações alérgicas estão relacionadas a erros na leitura de rótulos dos produtos. Além disso, a alergia alimentar atinge 8% das crianças e entre 3% e 5% dos adultos. Pesquisa feita nos Estados Unidos entre os anos de 1997 e 2007 indica um aumento de 18% nos casos de alergia alimentar na faixa etária de 0 a 18 anos (Fonte).

A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou, na quarta-feira (24/6), a Resolução que trata dos requisitos para rotulagem obrigatória dos principais alimentos que causam alergias alimentares. A norma deverá ser publicada no Diário Oficial da União nos próximos dias.


Segundo o regulamento, os rótulos de alimentos e bebidas deverão informar a existência de 17 alimentos: trigo (centeio, cevada, aveia e suas estirpes hibridizadas); crustáceos; ovos; peixes; amendoim; soja; leite de todos os mamíferos; amêndoa; avelã; castanha de caju; castanha do Pará; macadâmia; nozes; pecã; pistaches; pinoli; castanhas, além de látex natural.

Com isso, os derivados desses produtos devem trazer a informação: “Alérgicos: Contém (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)”, “Alérgicos: Contém derivados de (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)” ou “Alérgicos: Contém (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares) e derivados”.

Já nos casos em que não for possível garantir a ausência de contaminação cruzada dos alimentos (que é a presença de qualquer alérgeno alimentar não adicionado intencionalmente, como no caso de produção ou manipulação), o rótulo deve constara declaração “Alérgicos: Pode conter (nomes comuns dos alimentos que causam alergias alimentares)”.

Essas advertências, segundo a norma, devem estar agrupadas imediatamente após ou logo abaixo da lista de ingredientes e com caracteres legíveis, em caixa alta, negrito e cor contrastante com o fundo do rótulo.

Os fabricantes terão 12 (doze) meses para adequar as embalagens. Os produtos fabricados até o final do prazo de adequação poderão ser comercializados até o fim de seu prazo de validade.

Põe no rótulo
Há um ano, a campanha Põe no Rótulo vem conquistando espaço e aumentando seu coro na luta por informações claras e destacadas sobre alérgenos alimentares nos rótulos dos produtos.

No post sobre rotulagem geral de alimentos, já comentei que atualmente deve haver uma declaração de todos os ingredientes utilizados no produto na forma de uma lista (lista de ingredientes - RDC n.259/2002). Assim, a partir da leitura da lista de ingredientes, os consumidores já podem identificar a presença de alimentos ou ingredientes alergênicos e evitar o consumo do produto.

E você, aprova esta mudança?


19 de jun de 2015

SE SEU ALIMENTO FOSSE ASSIM, VOCÊ COMERIA???

Bom dia!

Mais uma sexta feira e, novamente, hoje resolvi escrever menos e deixar as imagens falarem por si só! As imagens são do tipo "valem mais que mil palavras" e retirei de um post de outra nutricionista, a Leila Korndorfer, que já me ajudou a emagrecer alguns quilinhos há uns dois anos. Acho legal a ideia de mostrar o que tem dentro dos alimentos processados, pois muitas vezes até temos uma noção, entretanto escolhemos ignorar isto. Esta tática é utilizada por alguns programas de televisão para chamar as pessoas à realidade. 

Com estas imagens quero enfatizar algumas coisas:
  • na maioria das vezes desconhecemos o que estamos servindo para nossa família;
  • quanto mais natural o alimento melhor ele é;
  • vale a pena começar a ler os rótulos das embalagens de produtos industrializados.





E aí, concordam??? Já conversamos um pouco sobre os nuggets, mas em todas as fotos o perigo mora nos embutidos, que irei deixar para falar mais nas próximas semanas.

Um bom São João a todos!! Para quem não sabe, aqui em Pernambuco e praticamente todo nordeste a comemoração é de quase Carnaval!!




12 de jun de 2015

O INVERNO E A INGESTÃO DE ÁCIDO ASCÓRBICO

Bom dia...
o inverno esta chegando e acho que é bom falarmos sobre a ingestão de ácido ascórbico. Nunca ouviu falar? Chances de 100% que já ouviu sim, mas por outro nome: a VITAMINA C. Pois é, resolvi escrever sobre este assunto depois de algumas informações errôneas que as pessoas têm.
A vitamina C, cujo nome técnico é ácido ascórbico, é uma vitamina hidrossolúvel, ou seja, é solúvel em água. Ela não pode ser sintetizada pelos seres humanos, sendo assim, a única maneira de obtê-la é pela alimentação. 

Benefícios comprovados da vitamina C
  1. Melhora a imunidade: A vitamina C aumenta a produção de glóbulos brancos, células que fazem parte do sistema imunológico.
  2. Evita o envelhecimento da pele: A vitamina C evita o envelhecimento da pele por ser essencial para a produção natural de colágeno pelo organismo. Além disso, a vitamina C tem ação antioxidante, ou seja, neutraliza os radicais livres, protegendo a pele contra a degradação de colágeno. 
  3. Proporciona resistência aos ossos: Isto ocorre porque a vitamina C é necessária para a produção de colágeno. Esta proteína além de ser benéfica para a pele, também proporciona resistência aos ossos, dentes, tendões e paredes dos vasos sanguíneos. 
  4. Melhora a absorção de ferro: A vitamina C aumenta a biodisponibilidade de ferro não-heme, aquele de origem vegetal, no organismo. 
  5. Evita problemas de visão: A vitamina C contribui para prevenir problemas de visão em decorrência do envelhecimento. 
  6. Previne derrames: A vitamina C mantém as concentrações de colágeno e elastina, que em boas quantidades evitam a ruptura de coágulos e a formação de placas nas artérias.
  7. Ação antioxidante: A vitamina C é um poderoso antioxidante que combate os radicais e assim diminui os riscos de diversas doenças, entre elas o câncer e processos degenerativos associados com a idade. 
  8. Previne e melhora gripes e resfriados: Alguns estudos já apontaram que a suplementação constante de vitamina C provoca redução na duração dos sintomas do resfriado. 

Deficiência de vitamina C
Um dos problemas de saúde ocasionados pela falta de vitamina D é o sistema imunológico enfraquecido, que é caracterizado por gripes e resfriados frequentes. Outra complicação é o escorbuto, doença que provoca problemas nas articulações, inchaço, inflamações nas gengivas, perdas dos dentes, hemorragias, feriadas que não cicatrizam e sistema imunológico deteriorado, podendo em casos extremos levar até a morte. 

Fonte de vitamina C
As frutas e vegetais são as melhores fontes de vitamina C. 

VegetalCONTEÚDO (mg)
1 banana20
150 g brócolis170
175 g couve80
300 g espinafre270
1 goiaba275
1 kiwi65
1 laranja65
1 maçã20
1 mamão125
150 g morango95
1 pimentão240
2 tomates70

Não se esqueça que os alimentos ricos em vitamina C devem ser consumidos preferencialmente crus, frescos e caso vá cortá-los faça isto na hora. Isto porque o nutriente oxida com facilidade quando entra em contato com o ar. Porém, após serem cozidos os vegetais ainda contém a vitamina C, apesar de em quantidade menores. A melhor maneira de cozinha-lo é no vapor, pois quando ele é cozido na água a perda do nutriente é maior. 

Quantidade recomendada de vitamina C
As doses recomendadas podem variar muito dependendo da fonte/estudo pesquisado. Eu sabia que para adultos a quantidade era de cerca de 200mg/dia. 
Mas aqui coloquei as doses recomendadas por entidades governamentais de vitamina C:
  • United Kingdom's Food Standards Agency - 40 miligramas por dia.
  • Organização Mundial da Saúde - 45 miligramas por dia.
  • Health Canada - 60 miligramas por dia.
  • United States' National Academy of Sciences - 60-95 miligramas por dia.

O uso do suplemento de vitamina C
O organismo humano é capaz de armazenar apenas uma certa quantidade de vitamina C, então para que não haja deficiência é preciso ingerir novos suprimentos diariamente.
A suplementação de vitamina C é recomendada quando a deficiência do nutriente é identificada e não é possível supri-la com a alimentação, mas se a dose for muito alta, por exemplo, os comprimidos de 1g que vemos no mercado, o excedente será excretado na nossa urina. Assim, se você optar pelo uso de suplementos vitamínicos, o ideal é escolher aqueles que contenham quantidades moderadas e aproximadas da dose diária recomendada. Por isto é importante que esta suplementação deva ser recomendada após a avaliação de um nutricionista ou médico e precisa ser acompanhada por este profissional.


5 de jun de 2015

REFRIGERANTE X ÁGUA

Oi gente!!
Hoje é sexta-feira e feriadão para muitos. E, euzinha, acabei de voltar do Rio Grande do Sul após quase duas semanas de friozinho, chimarrão e de colocar parte das minhas botas em uso!!! Assim, para não cansá-las vou aproveitar uma imagem que vi esta semana no Instagram e que está relacionada com o assunto da semana passada: bebidas açucaradas, mais especificamente um duelo dos refrigerantes x água!!


Para mim, já é o suficiente e nem precisa de comentários!!! hehehe To rindo, mas é triste, pois quantas crianças vemos bebendo refrigerante, inclusive dentro das próprias mamadeiras???

Caso a imagem não tenha valido por mil palavras, vamos lembrar de algumas coisinhas:
  • Segundo dados do Ministério da Saúde do ano de 2009, 76% dos brasileiros consomem refrigerantes e sucos artificiais pelo menos uma vez por semana, sendo que 27,9% consomem cinco vezes ou mais por semana. Entre os jovens de 18 a 24 anos, o consumo é ainda maior, 42,1% consomem refrigerantes quase todos os dias.
  • O perigo do excesso de refrigerante não está só no açúcar. E olha que uma latinha de refrigerante comum tem bastante: o equivalente a 3 colheres de sobremesa de açúcar.
  • Algumas bebidas vendidas como se fossem águas aromatizadas, como o Aquarius Fresh e a H2OH são de fato refrigerantes, contendo acidulantes, conservantes, aromatizantes, sequestrantes e edulcorantes (ciclamato de sódio, aspartame, acesulfame de potássio e etc). Os efeitos colaterais dessas substâncias químicas no uso prolongado ainda não estão totalmente definidos, mas há indícios que algumas delas podem aumentar o desenvolvimento de doenças, como o câncer.
  • O benzoato de sódio, por exemplo, que é um conservante utilizado na maioria dos refrigerantes, pode desencadear uma reação com outros componentes da bebida, como o ácido ascórbico (vitamina C), formando benzeno que, se ingerido por longos períodos de tempo, podem aumentar o risco para o desenvolvimento de câncer.
  • Essas bebidas têm alta concentração de sódio, o que aumenta o risco para hipertensão e doenças renais.
  • A água realmente é essencial à vida, tanto que ela é o principal componente do nosso corpo, cerca de 60% do nosso peso é constituído de água. E quanto mais jovens somos, maior a o percentual de água no nosso corpo. E não espere sentir sede, pois ela já é um sinal de desidratação.





29 de mai de 2015

PERIGO ESCONDIDO: AS BEBIDAS AÇUCARADAS

Olá novamente... indo contra a conversa saudável da semana passada em que falei sobre as vantagens em se consumir vegetais, hoje vou falar das bebidas açucaradas, e elas estão cheinhas de um “ingrediente” altamente viciante e  prejudicial a nossa saúde: o açúcar!
E vocês, mamães sabem muito mais que eu que cada vez mais os pediatras e médicos em geral estão tentando excluir o açúcar por mais tempo possível da alimentação dos seus bebês. O que muitas vezes pode ser um pouco difícil, por mais que vocês, papais e mamães, estejam tentando acertar, nossos pais e avós não aprenderam deste jeito e acabam indo contra o que estamos tentando fazer pela alimentação dos pequenos. 
Fonte.


O açúcar está na mira de médicos e nutricionistas tanto quanto a gordura trans, a gordura saturada e o sódio. Para ter ideia dos perigos relacionados a ele, seu consumo deve ser controlado da mesma maneira que o álcool e o tabaco, segundo uma pesquisa da Universidade da Califórnia (EUA). Mas, calma lá, ele não precisa ser totalmente banido da dieta! Como eu sempre falo: o exagero é que deve ser evitado.
Colocando um dado que me chocou: no Brasil no final do século 19, o consumo médio anual, por pessoa, era de dois quilos de açúcar. Adivinhem quanto é hoje? São 37! Péssima notícia!!

E por quê o açúcar faz mal?
O que todos já sabem é que o açúcar tem muitas calorias, vazias de nutrientes, o que é um grande responsável para o aumento de peso. Além disto, quem come muitos produtos de confeitaria ou sorvetes, num exemplo, naturalmente, deixa de comer alimentos saudáveis, prejudicando a nutrição do organismo. A consequência é um sistema imunológico debilitado.
Resultados de muitos trabalhos realizados, nestas últimas décadas, têm demonstrado que o perigo do açúcar vai muito além de engordar e estragar a silhueta tão querida. Primeiro porque, só o fato de aumentar a gordura corporal, principalmente a abdominal, já pode desencadear inúmeras disfunções, segundo, por ser um grande agravante no processo de aceleração do envelhecimento e por fim e mais perigoso, é que pode causar até câncer e se tornar um vicio, o que não é nada difícil. O açúcar em excesso desencadeia ou agrava qualquer inflamação que esteja ocorrendo no organismo. Também inibe os hormônios de crescimento, levando o corpo a envelhecer de maneira mais acelerada.
Resumindo, o consumo excessivo de açúcar pode provocar: OBESIDADE, DIABETES TIPO 2, CÂNCER , PROBLEMAS CARDÍACOS, ENVELHECIMENTO PRECOCE, FALHAS NA MEMÓRIA entre muitos outros problemas. Estes motivos são suficientes para vocês repensarem a ingestão de açúcar?

Achei este quadro bem legal e ele ilustra a quantidade de açúcar adicionado as bebidas industrializadas (lembrando que não é somente o refrigerante que é o vilão da história), sendo assim fica obvio que muito do açúcar eu consumimos esta “disfarçado” como ingrediente principal em muitas preparações. Resumo do quadro: façam seus pequenos beberem água! Muuuita água!!


Como não podia faltar, achei legal citar algumas táticas para minimizar o consumo de açúcar, obviamente nem sempre é suficiente, mas ajudam bastante, e para mim tem funcionado!!

Priorize a ingestão de alimentos naturais, como as frutas.
Elas também têm açúcar na sua composição, mas elas também possuem outros nutrientes que as tornam mais saudáveis que um doce. Um exemplo disso são as fibras, que deixam o processo de absorção do açúcar mais lento, evitando picos e ajudam o nosso intestino a funcionar corretamente.

Consulte os rótulos dos produtos.
Os componentes aparecem na ordem em que são mais utilizados (sou completamente adepta deste item). Evite os que contêm o açúcar entre os primeiros itens listados. E atenção: o ingrediente pode aparecer com outros nomes, como glicose, frutose, sacarose, melaço...

Prefira os carboidratos complexos (integrais) aos refinados.
Eles possuem baixo índice glicêmico e, portanto, também evitam o excesso de açúcar no sangue.

Mexa-se.
Assim o açúcar ingerido é queimado e não se transforma em gordura estocada. Mas o fato de você e seus pequenos serem ativos não abre precedência para o exagero, combinado? Mantenha a família na linha!!

Mais uma vez espero que tenham gostado!







22 de mai de 2015

COMO NÃO AMAR OS VEGETAIS??

Olá!!

Hoje resolvi aproveitar uma notícia que tem aparecido bastante na internet e afins para lembrá-las de vários motivos para amar os vegetais e incluí-los na alimentação diária da sua família e dos filhotes! Os motivos eu tirei de um cartaz fixado na parte das frutas, legumes e hortaliças da rede Eataly. São Paulo ganhou no dia 19/05 a primeira loja da rede italiana na América Latina. O estabelecimento, que tem mais de 25 unidades no mundo, como em Nova York e Tóquio, une supermercado, restaurantes e escola de culinária, todos baseados no conceito de “slow food”.

O conceito do Eataly (isto não é jaba, como costumam dizer, é só uma explicação para quem ão ouviu falar) é reunir alimentos italianos de qualidade, além de produtos locais selecionados. Os clientes podem tanto comprar para comer em casa quanto sentar em algum dos restaurantes espalhados pela loja. Cada um deles serve um tipo de prato, como peixe, massa, carne, vegetariano ou sorvete, entre outras opções. A promessa da loja é que ela só cozinha o que vende (e só vende o que cozinha). Além disso, são oferecidos cursos pagos de degustação ou culinária. Há um espaço reservado para as aulas.

Tendo deixado claro alguns pontos vamos ao que realmente gostaria de falar, os motivos:

Fonte:Arquivo pessoal.
  1. Sua mãe tinha razão: os vegetais fazem bem para a saúde! Minha mãe nos obrigada a comer todos o dias verduras e legumes durante o almoço (fora as frutas ao longo do dia), agora eu sinto muita falta se não tem uma saladinha na hora do almoço!!
  2. Vegetais frescos são deliciosos e cheios de sabor. E possuem muitas fibras, o que fazem nosso intestino funcionar direitinho!
  3. Consuma os vegetais da estação: são melhores e mais baratos. E muito mais saborosos!!
  4. Um vegetal de qualidade é melhor e custa só um pouco a mais. E muito menos que qualquer alimento industrializado.
  5. Escolha os vegetais de de bons agricultores, que não usam aditivos químicos. 
  6. Existem milhares de formas diferentes de preparar os vegetais. Mais do que qualquer outro alimento. Sendo assim, se sua família não gosta de comer cenoura crua, talvez goste dela refogada, como massa, em sufles e etc.
  7. Não tempere demais se for comer cru, se for comer cozido não passe do ponto e use pouco sal. Vamos tentar fugir dos molhinhos nas saladas, das verduras moles de tão cozidas (adoro as verdurinhas "al dente") e do excesso de sal!!!
  8. Vegetais te deixam mais feliz, como não amar algo que é tão gostoso, tão colorido e te faz tão bem? Viva os pratos coloridos!! Lembram das cinco cores no prato e também que comemos com os olhos primeiro??

E aí? Concordam? Consegui convencê-las mais um pouquinho?

Bjos e até a próxima sexta feira.