27 de mar de 2015

O SAL QUE VOCÊ NÃO VÊ

Bom dia...

Já falamos deste assunto em 2014, mas como semana passada foi a Semana Mundial de Conscientização do Sódio achei que seria importante "bater nesta tecla" mais uma vez. Com a mesma finalidade, o IDEC (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor) publicou um especial chamado "O Sódio que você não vê" buscando informar e conscientizar nós, consumidores, para os problemas que o consumo excessivo de sal e também para lembrar de alguns pontos bem importantes que nos passam batido na correria do dia a dia. Este informativo é bem legal, já que é bem didático, Assim peguei algumas das imagens para ilustrar este post, juntamente com outras informações que achei válidas, mas  ainda vale a pena dar um conferida no link com o especial completo.

Relembrando...o sódio é muito importante para o funcionamento do organismo, mas não podemos abusar. Você sabia que o brasileiro consome mais que o dobro da quantidade de sódio recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS)? Mas nós não somos os únicos, veja no quadro abaixo outros países e seus respectivos consumos.

Esse excesso provoca sérios damos à saúde da população e está associado a uma série de doenças, sobretudo à hipertensão arterial. No mundo, a pressão alta é considerada um dos principais fatores de risco de mortes. Já no Brasil, segundo o novo levantamento Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2012), a hipertensão atinge 24,3% dos brasileiros hoje (Fonte).

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que o nutriente seja usado com parcimônia: no máximo 2 gramas diárias de sódio, o equivalente a 5 gramas de sal (já que o alimento é composto 40% de sódio). Para ficar mais didático, é só olhar a imagem a seguir. Contudo devemos ter atenção, pois esta é a quantidade de sal que adicionamos aos alimentos é mais fácil de ser controlada, a parte mais difícil está mensurar a quantidade de sal que consumimos através de alimentos já industrializados.

Para visualizar a quantidade de sal adicionada aos alimentos processados a Anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) fez uma pesquisa com 496 alimentos, divididos em 26 categorias. O ranking com os 10 mais estão na tabela abaixo, mas se você quiser ver a lista completa esta aqui.


Mesmo assim, esta tabela mostra produtos em que está meio na cara que terão grandes quantidades de sódio (o que pode chocar é a quantidade). Nestes dois links (1 e 2), tem outros alimentos supercomuns, que a maioria das pessoas come quase todos os dias e que possuem taxas de sódio altíssimas

Sendo assim, fica a dica: leia as informações nutricionais e visite websites para aprender sobre o conteúdo de sódio dos alimentos que você consome regularmente. Um pouco de conhecimento acerca do conteúdo de sódio de um alimento ingerido diariamente pode ajudar muito a convencê-lo a cortar o excesso de sal.

Bom findi para vcs... e cuidado com o sal!






20 de mar de 2015

BEBÊS E PETS

Olá novamente!!

Mais uma vez decidi mudar um pouco o assunto da coluna de hoje, já que acho que o nome da mesma, Criança Bem Cuidada, me permite falar de uma variedade bem grande de assuntos. Assim, este tema surgiu das inúmeras fotos e vídeos que tenho visto postadas nas redes sociais mostrando a convivência de bebês e os pets de suas famílias. Já vi fotos e vídeos lindinhos, mas eu, particularmente, não sou nada a favor desta integração para bebês e crianças muito pequenas, talvez meu receio tenha aumentado porque há alguns anos fui mordida por um labrador da família e tive vários problemas por causa deste incidente. Sendo assim, resolvi escrever sobre o tema e para ajudar a nos esclarecer, pedi a ajuda da Mariana Brochier, mais uma amiga, que por acaso é veterinária.

A primeira coisa que temos que lembrar é que seu bichinho já era o dono do pedaço muito antes da chegada do seu bebê. Portando, é importante entender o que fazer ou como fazer para que o bichano não estranhe a chegada do novo integrante da família! Afinal de contas, você assumiu o seu pet como integrante da família e simplesmente descarta-lo agora não deve ser uma opção.

Falando dos pets mais comuns, os gatos são mais independentes e por isso tendem a não ligar muito para as mudanças, a não ser que elas afetem diretamente a rotina deles, eles costumam ser indiferentes, a interação com o bebê pode ser quase nula, mas isso pode mudar de gato pra gato, tem raças que são bem carinhosas. Já os cães podem ser mais sentimentais e sentem muito mais a perda de território para o bebê, podendo ter crises de ciúmes, as quais devemos ficar bem antenados! Em compensação, quando eles se sentem seguros e amados, demostram até que precisam “ajudar” a cuidar do pequeno ser que chega!

Preparando a chegada do bebê
Pra começar, é fundamental que a rotina do seu animalzinho seja alterada minimamente, que o lugar onde ele descansa e se alimenta e seus objetos continuem no mesmo lugar de sempre. Além disso, quanto mais tempo ele tiver de convivência, mais se sentirá desnorteado pelas mudanças, devido seu costume de marcar território, seja a poltrona do escritório, que agora virou poltrona da mamãe, e o próprio escritório, virando quarto do bebê.

Quando começar a montar o quartinho, leve seu pet até lá, mostre o berço, as roupinhas, acostume-o aos poucos ao novo ambiente. Se for fazer mudanças drásticas na sua casa, faça aos poucos, e deixe ele participar de perto, vá mostrando o que está sendo modificado. Dê um tempo para ele se adaptar. 

Hora da chegada
Combine com seu marido ou com algum familiar de acompanhar seu pet para uma aproximação, bem aos poucos, e com uma distância segura, mostre ao seu pet o bebê, deixe que ele sinta o cheiro e reconheça o novo membro que chegou. Se for possível (pois sabemos que nem sempre é), faça as apresentações já no primeiro dia, pois do contrário, seu bichinho pode entender como traição, ficar ressentido ou desconfiado e não aceitar bem a mudança. Uma coisa que você pode fazer, é deixar um minuto o bebê com seu marido ou familiar, e ir cumprimentar seu bichano sozinha primeiro, dar uns minutinhos de atenção e explicar que vai apresentar alguém a ele, e só depois chamá-lo para ver a criança. Importante: evite os movimentos bruscos com o bebê, como levantá-lo e girá-lo na frente de cães, eles podem pensar que é uma brincadeira e acabar machucando.
Outra ideia é apresentar primeiro uma peça de roupa (ou fralda) dele ao animal, deixando que o cão ou gato se acostume com o cheiro.

Evite mudanças bruscas de hábitos
Um bebê com certeza ocupará a grande parte do seu tempo. Se antes esse tempo era todo dedicado ao cão ou gato, faça uma mudança gradual.
Adeque sua rotina, mesmo antes do parto, para que o animal não associe a chegada do bebê a uma mudança negativa em sua vida.
Dê muita atenção ao seu pet, pois a falta dela gera mau comportamento. Leve o seu cão para passear, diariamente, fora de casa, isto evita o stress.

Convívio diário
Deixe que o pet e o bebê se aproximem gradualmente, mas lembre-se que o convívio deve ser sempre supervisionado por um adulto. Os bebês podem ter reações bruscas que venham a assustar o animal e provocar um acidente.

Alergias
O medo do desenvolvimento de alergias é outro fator que leva muitos futuros pais a se desfazerem do pet. Estudos mostram, entretanto, que as crianças que convivem com animais desde cedo amadurecem o sistema imunológico mais rápido e são, na verdade, menos predispostas a se tornarem alérgicas.

Aspecto Sanitário
A Mariana ressalta que é muito importante manter o seu pet sempre vacinado e desverminado, de acordo com as instruções do médico veterinário. De maneira geral, cães e gatos devem ser vacinados anualmente com vacina anti-rábica e polivalente; já as desverminações devem ser feitas pelo menos 4 vezes ao ano.

Segundo ela, também é fundamental que as fezes dos pets sejam recolhidas o mais rápido possível, para evitar qualquer “acidente”, principalmente quando a criança já conseguir se movimentar sozinha pela casa. Nem vou entrar na questão dos banhos semanais, porque isso é básico.  Além disso, é importante saber que é muito raro adquirir toxoplasmose dos gatos e que eles não são a principal fonte de contaminação da doença.

Para finalizar, antes de entrar em desespero e querer se desfazer do seu pet por causa da chegada do seu bebê, pense bem nas possibilidades, converse com seu médico, com o veterinário, é muito importante conhecer as características da raça do seu bichano, pois infelizmente, às vezes acontece uma incompatibilidade mesmo, aí não tem jeito! Mas é legal tentar fazer com que essa relação dê certo, pois seu bebê crescerá amando os pets tanto quanto você ama!

Mais uma vez esperamos que tenham gostado!!

Até a próxima sexta-feira. 

13 de mar de 2015

CONSERVAÇÃO DOS ALIMENTOS - PARTE IV

Bom dia...hoje teremos a ultima parte da nossa saga falando sobre conservação de alimentos. Já falamos sobre certos alimentos que não precisariam de refrigeração e também sobre como limpar e arrumar o refrigerador para preparar este para a chegada de novo alimentos e, na semana passada, falamos sobre diferenças entre refrigeração/congelamento e demos algumas dicas de como refrigerar corretamente os alimentos. Finalmente, hoje chegou a vez dos alimentos congelados e suas dicas. Mais uma vez contamos com a super ajuda da nutri Cláudia Canali, lembrando que na cozinha industrial onde ela trabalha estas dicas são muito utilizadas e controladas.

Muitas de vocês, donas de casa de primeira viagem (assim como eu), com certeza já compraram alimentos e jogaram fora depois de estragar, ou após o vencimento. Mas, saibam que muitos alimentos podem ser congelados por determinado período sem perder o gosto e a qualidade.

Fonte

Antes de mais nada, na hora de congelar qualquer comida, vocês precisam colocar uma etiqueta no pacote com a identificação e a data em que estão congelando,tá? A etiqueta pode ser bem simples, apenas com espaço para colocar o alimento que está sendo congelado (porque depois de congelar muitas vezes não sabemos o que é) e a data que foi congelado.
  • Praticamente tudo pode ser congelado: carnes, aves, peixes, pizzas, sopas, feijoadas, massas, tortas, pães, legumes. Até molhos, bolos, musses, salgadinhos, docinhos e diversas receitas prontas ou pré-prontas.
  • Se você tem uma receita especial e quer congelá-la, preste a atenção nessas dicas:
  • Use menos sal e temperos. 
  • Se sua receita preferida leva creme de leite, deixe para adicioná-lo na hora de servir.
  • Evite cozinhar demais o alimento a ser congelado. Depois de pronto o preparo, separe em porções e em embalagens próprias para freezer. É importante essa divisão, porque depois de descongelar você tem que utilizar tudo.
  • Nunca coloque comida quente no freezer. Resfrie o alimento antes de congelar. 
  • Tire todo o ar da embalagem.
  • Etiquete os alimentos e arrume-os lado a lado na chapa do freezer, por 24 horas. Depois, distribua-os pelas prateleiras ou gavetas. Nunca empilhe as embalagens para congelar.
  • O congelamento feito da forma correta preserva bastante o valor nutritivo do produto.
  • Os alimentos que mais sofrem com o congelamento são aqueles que têm algum teor de água, pois ela forma cristais, que modificam a textura do alimento.
  • Alguns alimentos não saem inteiros do congelamento, como maionese, gelatina, iogurte, molhos cremosos e pudins à base de amido de milho e alface. Carnes e aves mantêm suas qualidades por mais tempo quando congeladas cruas. A clara de ovo congelada separada continua boa para ser usada em preparações assadas, mas não mais para fazer clara em neve. As gemas devem ser ligeiramente batidas com uma pitada de sal ou açúcar, ajuda na conservação durante o congelamento.
  • Para garantir a segurança dos alimentos, trabalhe com porções pequenas. É mais fácil na hora de congelar e descongelar.

 PRAZO DE VALIDADE MÉDIO DE COMIDAS NO CONGELADOR
Frango cru, inteiro ou em pedaços: Por até 12 meses
Miúdos de frango: Por 2 meses
Carne bovina, crua, em bifes: De 8 a 12 meses. Porém os bifes à milanesa duram até 3 meses
Carne bovina crua, moída: Até 4 meses
Peixes: Os magros duram de 6 a 8 meses. Já os gordos, de 3 a 4 meses
Pães: De 4 a 6 meses
Salgadinhos: Os fritos conservam-se no freezer por até 3 meses. Sem fritar, duram por 6 meses
Bolos: Os simples conservam-se bem de 8 a 10 meses; os decorados, por até 3 meses.
Manteiga/margarina: 6 meses.
Frutas: até 9 meses.

Por último, para descongelar os alimentos também é bom seguir algumas regrinhas simples:
  • Não deixe os alimentos a descongelar à temperatura ambiente.
  • Coloque o alimento no refrigerador na véspera.
  • Utilize o microondas.
  • No caso de verduras ou de peixe, pode cozinhá-los diretamente.
  • Uma vez descongelado, deverá consumir o alimento o quanto antes. Não deve congelar um alimento duas vezes: perde as propriedades nutritivas e algumas bactérias acabam ficando mais resistentes, causando intoxicação alimentar.
Ufa!!! Quanta coisa!
O que acharam? Esperamos que tenham gostado!! Beijão a todas




9 de mar de 2015

VERÃO QUE NÃO ACABA NUNCA

Existem muitos lugares no Brasil onde há muito sol e calor forte todos os dias do ano! Foi pensando na galerinha que mora nos pontos mais quentes do país, que a Elian criou a coleção verão tropical. Refresque-se com looks alegres todos os dias. 

Veja algumas imagens da campanha da marca para esta coleção.  






6 de mar de 2015

CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS - PARTE III

Bom dia!!!

Hoje é novamente sexta feira e vamos continuar a “maratona” sobre conservação de alimentos! Já falamos sobre certos alimentos que não precisariam de refrigeração e também sobre como limpar e arrumar o refrigerador para preparar este para a chegada de novo alimentos. Assim hoje chegou a vez dos alimentos refrigerados e suas dicas. Mais uma vez contamos com a super ajuda da nutri Cláudia Canali.

Para começarmos separei algumas perguntas importantes para serem respondidas, estas esclarecem algumas das dúvidas que acreditamos que muita gente ainda têm a respeito deste assunto.


1) Qual a diferença entre um alimento refrigerado e congelado? 
Alimentos refrigerados são aqueles que passaram por um processo de abaixamento de temperatura superiores as de congelamento, em torno de 8ºC a -1ºC. Não existe formação de cristais de gelo bem como não há qualquer alteração no alimento, seja em textura, sabor, entre outros. A conservação dura por dias ou semanas, dependendo do produto. Alimentos congelados ,no entanto, sofreram abaixamento de temperaturas entre -10ºC a -40ºC, ocorrendo a formação de gelo e duram por períodos longos (meses ou anos). 

2) Como o frio age na conservação de um alimento? 
Ao contrário do que muitos pensam, o frio não mata bactérias! Na realidade, ele apenas inibe o crescimento dos microrganismos e retarda as reações químicas que promovem a deterioração nos alimentos. Quanto mais baixa a temperatura, mais reduzidas serão as reações e o crescimento microbiano.

3) Como devo armazenar alimentos refrigerados e/ou congelados em casa?
Armazene-os como indicado na embalagem ou seguindo as orientações: alimentos refrigerados devem estar armazenados em temperatura até 6ºC, sendo o ideal em torno de 4ºC. Alimentos congelados devem estar armazenados em temperatura em torno de -18ºC.

4) Como descongelar um alimento corretamente?
Tirar o alimento do congelador e colocá-lo sobre a pia para descongelamento durante a noite em temperatura ambiente para o dia seguinte? Problemas! Alimentos devem ser descongelados sob refrigeração, ou seja, tire do congelador e coloque na geladeira. Isso porque durante o aumento gradual da temperatura (no ambiente) há risco de crescimento de bactérias, portanto, não arrisque!

5) Posso descongelar e congelar novamente?
Alimentos descongelados e “recongelados” não têm garantia de que são seguros para consumo. Podem estar muito contaminados devido a um crescimento microbiano durante o descongelamento, lembra-se? Além disso, quando um alimento é descongelado, perde água, e com ela nutrientes. Imagine se esse processo se repetir por diversas vezes? Haverá uma perda grande nutrientes, bem como, possíveis alterações de sabor, textura e até queimaduras dependendo do tipo do produto.

6) Como identificar um alimento que possivelmente foi descongelado e congelado novamente?
Infelizmente tal fato acontece com grande freqüência em inúmeros estabelecimentos comerciais e supermercados. Não existem garantias quanto a temperatura, na qual o alimento é transportado e armazenado, ser a correta. Portanto, seguem algumas dicas:
  • No interior dos balcões frigoríficos existe uma linha vermelha. Os produtos dentro dos balcões não podem ficar acima dessa linha.
  • Certifique-se de que não há excesso de produtos expostos o que prejudica a circulação de ar frio comprometendo o congelamento;
  • O acúmulo de água ou umidade nos balcões frigoríficos significa que estes estão a uma temperatura incorreta podendo danificar os alimentos que aí se encontram;
  • As boas condições de refrigeração formam sobre os produtos uma névoa ou neblina que indica a baixa temperatura do balcão;
  • A embalagem não pode estar amolecida ou umedecida, pois isso indica descongelamento;
  • Rejeite as embalagens abertas ou rasgadas que possibilitem o contato do produto com o ar;
  • A embalagem não deve ter muito gelo no seu interior o que significa que houve alterações de temperatura durante o processo de congelamento;
  • Deixe os alimentos congelados para o final das compras e transporte-os de preferência num saco térmico.
Tendo dito isto, seguem algumas dicas para manter organizar suas compras no seu refrigerador assim que chegarem do supermercado:
  • Limpar cuidadosamente os alimentos, removendo partes deterioradas antes de colocá-las no refrigerador.
  • O tempo de vida útil dos produtos sob refrigeração deve ser respeitado.
  • Estocar em refrigeração todos os alimentos perecíveis, como carnes, pescados, maioria das frutas, hortaliças, ovos, leite, etc.
  • Os produtos perecíveis não devem permanecer em temperatura ambiente mais de duas horas;
  • Não colocar papelão, papel ou plástico nas prateleiras de refrigerados. Os alimentos devem ter um espaçamento entre si adequados para facilitar a movimentação do ar frio.
  • Todo alimento pré-cozido deve ser refrigerado.
  • Alimentos a serem armazenados em refrigerador devem estar devidamente tampados em recipientes plásticos, limpos e secos. Não acondicionar alimentos em sua lata de origem.
  • Não lave ovos antes de armazenar ou usar. A lavagem retira as camadas naturais dos ovos, que ajuda prevenir as bactérias de penetrar na casca. Mantenha os ovos na geladeira fora da embalagem onde são acondicionados quando comprados.
  • Não misturar alimentos maduros demais com alimentos verdes, para não estragar.
  • Utilize recipientes de vidro ou plástico impermeável, lisos, devidamente limpos e tampados.
  • Todos os enlatados devem ser lavados ao serem abertos para consumo.
  • Os alimentos preparados com antecedência devem ser resfriados rapidamente, acondicionados e levados a seguir à geladeira ou congelador.
  • Coloque os produtos crus nas últimas prateleiras da geladeira para evitar que, caso soltem líquido e gotejem, contaminem outros produtos em baixo.
  • As verduras, após bem lavadas, devem ser bem secas. Depois, é importante colocá-las em um pote bem vedado ou num saco plástico sem ar. Consegue-se, assim, tê-las no refrigerador por mais de uma semana.
O que acharam?? Gostaram das dicas? Semana que vem tem a última parte! Até lá...


3 de mar de 2015

BEBÊS BEM AGASALHADOS

Eu adoro o verão, sou uma "summer fan" mas já estou cansadinha do calor que anda fazendo aqui. Foi pensando nas pessoas que também estão com saudade de um pouco de frio, que pensei no post de hoje: looks de inverno para os bebês.

Não tem como falar de looks de bebê sem lembrar da Sonho Mágico. A Sonho é nossa parceira, e eles acabaram de me enviar imagens da campanha de inverno 2015, que está  uma FOFURA! Aquelas imagens que a gente fica encantada com tanto baby lindo e bem vestido. Vou dividir as imagens com vocês, olha!

Os looks da Sonho são um sonho! Concorda?

Nesta coleção o destaque vai para as cores. Eu sou apaixonada por cores fortes, alegres e o verde esmeralda dos looks menina da Sonho, são um arraso!








27 de fev de 2015

CONSERVAÇÃO DE ALIMENTOS - PARTE II

Bom dia, quem leu o post da semana passada já sabe que comecei uma série em que estamos falando sobre conservação de alimentos. Usei o verbo no plural, pois tenho uma amiga me ajudando: a Cláudia Canali, que além de nutricionista também trabalha em cozinhas industriais e entende muito do assunto. Semana passada foi a vez dos alimentos guardados à temperatura ambiente, hoje decidi antecipar o assunto dos alimentos refrigerados e congelados, com outro tópico importante: a organização e limpeza do seu refrigerador. Falo disto, pois já vi muita geladeira (como as vovós chamavam) precisando de limpeza e arrumação.

Diferentemente do que muitos pensam, a organização de uma geladeira não se trata apenas de um mero capricho. Quando os alimentos estão devidamente ordenados até mesmo a vida de quem lida com o ambiente da cozinha tende a ser facilitada. Não obstante, uma mínima organização já é capaz de reduzir em muito as chances de ocorrerem desperdícios de alimentos.


Primeiro passo – Limpando a geladeira
  • A geladeira deve ser limpa por dentro e por fora toda semana, de preferência antes de fazer as compras dos alimentos. Devemos retirar todos os alimentos de dentro, verificar o prazo de validade e guardar os alimentos mais novos no fundo e os com vencimento mais próximo na parte da frente para serem utilizados primeiro.
  • O ideal é usar uma esponja ou pano úmido com água morna e sabão neutro. Nunca utilize detergentes ou produtos que possam deixar odores na geladeira, pode-se fazer uma solução de 2 litros de água morna com 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio. Não coloque panos ou plásticos para forrar as prateleiras da geladeira, eles dificultam a circulação do ar frio.
  • Não abra muitas vezes a porta da geladeira e não a deixe aberta por muito tempo. Organize o cardápio e retire tudo o que irá utilizar de uma só vez. Assim você evita o desperdício de energia elétrica e a variação de temperatura.
  • No caso de refrigeradores que não são frost free, será necessário também o descongelamento da camada de gelo do freezer. Para descongelar mantenha a porta da geladeira entreaberta horas antes da limpeza.

Segundo passo – A organização efetiva dos alimentos

Comece a organizar a geladeira de baixo para cima, além disso, tenha em mente que cada área da geladeira possui uma temperatura diferente. Abaixo você confere quais são os lugares mais indicados para o armazenamento de cada um dos alimentos (encontrei um esqueminha bem legal e ilustrativo).
  1. Gavetas : Na gaveta procure guardar alimentos como verduras e legumes, colocando-os antes em sacos plásticos. Isso evita que o frio do congelador queime as folhas.
  2. Primeira prateleira: Nessa região que é a que fica imediatamente acima da gaveta, procure guardar as frutas. Vale ressaltar que as macias devem ser guardadas em bandejas, ao passo que as mais consistentes podem ser armazenadas em sacos plásticos.
  3. Segunda prateleira: Procure deixar nessa área da geladeira os alimentos que serão consumidos mais rapidamente, os exemplos incluem torta, bolos e pudins. Lembre-se de guardá-los sempre em recipientes com tampas.
  4. Terceira prateleira: Ao invés de guardar os ovos na porta da geladeira (refrigerados é mais adequado, apesar do que muita gente diz), procure guardá-los na terceira prateleira. Dessa forma você evita que ele sofra oscilação de temperatura em função dos momentos em que a porta é aberta. Além disto, os ovos devem ser armazenados nos porta ovos, nas prateleiras, nunca nas embalagens de papelão ou isopor. Essa área também é indicada para guardar sobras de alimentos, que nunca devem ser guardados na geladeira nas panelas. Eles devem ser retirados da panela e armazenados em potes com tampa para evitar que peguem ou passem cheiros para os outros alimentos. Para preparações com molho e ensopados é mais interessante utilizar potes de vidro, pois são mais fáceis de lavar e não ficam manchados.
  5. Porta da geladeira: Na porta da geladeira você pode guardar compotas, ketchup, maionese, mostarda, geléia, refrigerantes em latas, caixas abertas de suco ou leite e alimentos infantis.
Sendo assim, um resumo bem simples é: A geladeira não deve ficar muito cheia de alimentos e as prateleiras não devem ser cobertas por panos ou toalhas, porque isso dificulta a circulação do ar frio. Nas prateleiras superiores armazene os alimentos preparados e prontos para consumo, nas prateleiras do meio os produtos pré-preparados e nas prateleiras inferiores, os alimentos crus.
Observações:
Alimentos enlatados: depois de abertos, alimentos como molhos de tomate, ervilha, milho, creme de leite, leite condensado, sardinha, atum, devem ser retirados da lata e colocados em embalagens fechadas com tampa.

Alimentos acondicionados em embalagem tetrapak: verificar o prazo de validade dado pelo fabricante.

Frios precisam de boa refrigeração, devem ser armazenados na parte superior da geladeira. O queijo fresco deve ser retirado da embalagem, escorrer a água e guardar em pote com tampa para não ressecar.

Os ovos não devem ser lavados, pois, ao lavá-los acaba-se retirando a sua película protetora, aumentando a porosidade da casca e facilita a entrada de bactérias. Deve-se retirar a sujeira com um pano seco ou papel toalha.

E o seu refrigerador esta em ordem??? Hehehe esperamos que sim!


Beijos e até a próxima semana.


20 de fev de 2015

CONSERVAÇÃO DOS ALIMENTOS - PARTE I

Bom dia!!!

Hoje vamos começar uma nova série de posts com dicas de como conservar alimentos, seja no refrigerador, congelador ou a temperatura ambiente... a Dani está me sugerindo este assunto há muito tempo, mas acho que nem ela podia imaginar que tem tanta coisa para falarmos a respeito! Por falar em Dani, ela esta meio atarefada e não esta conseguindo escrever para o blog, outro motivo é que esta pensando em algumas novidades para o blog, assim enquanto ela esta nesta fase de planejamento eu que acompanharei vocês por aqui! Espero que não se importem e gostem muito, já que eu adoro! Sendo assim, vamos ao trabalho!


No primeiro post da série, decidi falar os alimentos que não precisam refrigeração, mas a maioria das pessoas acha que sim! Além disto, nem todos os produtos foram feitos para suportar o frio e as condições de uma geladeira, pelo contrário, em certas ocasiões o frio acelera a decomposição dos alimentos ou pode também mudar seu sabor original. Eu, particularmente, acho este tópico super importante, pois além de armazenarmos os alimentos da melhor maneira, estamos economizando espaço dentro dos nossos refrigeradores e, o mais importante nos dias de hoje, energia. Este está em itens para ajudar o entendimento! Ah, ia me esquecendo de comentar, quem vai me ajudar esta série é a Cláudia Canali, minha amiga, que além de nutricionista também trabalha em cozinhas industriais e entende muito do assunto! Escrevemos os posts em conjunto e esperamos que gostem!!

Pães
Coma-o na hora ou em até quatro dias, mas não guardado na geladeira, porque a refrigeração o resseca mais rapidamente. O refrigerador não pode ser usado, mas o congelador, para preservar aqueles pães que não serão comidos em quatro dias, é uma opção. Importante que estejam bem embalados em plástico filme ou sacos de plástico para que não haja perda de umidade. Quando for utilizar o pão congelado, pode-se colocá-lo no forno por 10min a 180ºC.
Os pães que ficarem mais sequinhos podem ser usados em torradas, brusquetas, pudim de pão, pizza de pão e o que mais a sua imaginação mandar.

Queijos secos
É comum guardar o queijo na geladeira, pois se acredita que isto fará com que o queijo fique mais conservado. Dependendo do tipo de queijo, a geladeira pode ser um erro, pois pode mudar o sabor e tornar o queijo mais insosso. Queijos secos como o parmesão ou algum similar, não requer refrigeração porque pode perder o sabor, como alternativa você pode usar um recipiente hermético em temperatura ambiente.

Mel de abelha
Submeter o mel a baixas temperaturas é um grave erro. O mel, graças aos seus componentes e pH se mantém em bom estado ao ar livre e fica conservado todo o tempo, bom para o consumo. Quando guardamos o mel na geladeira, o frio tende a cristalizar o açúcar e perder muitas de suas propriedades.

Azeite de oliva
O azeite de oliva na geladeira se condensa e “endurece”, toma uma forma de manteiga, e além do mais, o frio faz com que o azeite perca seu sabor. O ideal é mantê-lo em um lugar fresco e longe da luz.

Chocolate
Quando o chocolate é submetido por muito tempo a temperaturas baixas como a da geladeira, uma capa branca é formada sobre ele, o que muda o sabor. O ideal é conservar o chocolate a temperatura ambiente e longe da luz, também é aconselhável evitar guardá-lo em temperaturas altas.

Café
O café em pó deve ser colocado em recipientes hermeticamente fechados (que não entrem ar) dentro da despensa. Ao ser conservado na geladeira ele pode perder o seu aroma característico e seu sabor nutritivo, além do que, tende a absorver com facilidade o odor de outros alimentos da geladeira.

Alho
O alho é outro exemplo de alimento que se colocado em um local seco e fresco tende a ser conservado por um tempo maior. Guardá-lo na geladeira pode lhe acelerar o processo de decomposição, levando-o também a perder suas principais propriedades.

Cebola
As cebolas precisam de ventilação. O interior úmido da geladeira faz com que estraguem rapidamente, então é melhor mantê-las na despensa.

Cereais, macarrão, farinhas e açúcar.
Estes tipos de alimentos são feitos para serem conservados a temperatura ambiente, quando são submetidos a baixas temperaturas perdem suas propriedades, vitaminas, sabor e textura. Depois de abertos devem ser armazenados em potes, latas, recipientes fechados para evitar a contaminação de insetos.

Batatas
Comuns, doces ou similares, batatas não devem ser colocadas na geladeira porque o amido se transforma em açúcar e muda não só o sabor, mas a cor e a textura. Um local fresco, arejado e escuro é ideal.

Pimenta
Aberto ou fechado, o vidrinho de pimenta em conserva tem que ficar fora do refrigerador. É um alimento que dura até três anos sem porque possui ingredientes que o conservam, como vinagre e azeite.

Frutos tropicais em geral
Por serem frutas de climas quentes, a baixa temperatura da geladeira não as favorece em nada. Frutas como o abacaxi, a melancia, maracujá, abacates, bananas, entre outras frutas, não devem ser guardadas na geladeira, pois o frio acelera seu processo de decomposição, impede sua correta maturação e seu sabor natural muda, inclusive pode ser bem desagradável. Contudo, depois de cortados, devem ser refrigerados até seu consumo. Se acabou descascando uma banana ou maçã a mais do que será consumido e não quer perder essa fruta, vale colocar algumas gotas de laranja ou limão, a vitamina C presente nas frutas cítricas impedem a oxidação e as frutas não ficam escuras.

Tem algum item que esquecemos? Ou alguma que você fazia errado? Estamos aguardando a sua opinião! 


13 de fev de 2015

QUANDO DOIS É DEMAIS!!

Olá... já é sexta feira novamente... e hoje vou continuar o assunto que comecei há duas semanas. No primeiro post falei sobre combinações boas de alimentos. Assim, resumindo o que acontece é que é os alimentos reagem de forma diferente dentro do nosso organismo dependendo de serem ingeridos “sozinhos ou acompanhados”. Se um determinado alimento foi ingerido sozinho ele terá uma reação “x”, se ele for ingerido com outro alimento uma reação “y”, se existir ainda um terceiro, acontecerá uma reação “z”. Estas interações podem acarretar tanto benefícios (falamos de alguns há duas semanas) quanto malefícios do ponto de vista nutricional, que será o tema de hoje.

Vamos lá então... alguns acabam meio que se sobrepondo e parecem repetições, mas resolvi comentar mesmo assim pois são combinações comuns que fazemos.

HAMBÚRGUER COM QUEIJO (PROTEÍNA + CÁLCIO)
Quanto mais queijo, maior será a briga pelo aproveitamento do ferro (do hambúrguer), do cálcio e do zinco (do queijo). Importante para o sistema imunológico, o zinco ajuda na prevenção de resfriados, gripes e outras infecções. O mesmo vale para preparos que levam creme de leite, como o estrogonofe, ou para sobremesas lácteas logo depois da ingestão do almoço com aquele bifinho gostoso!

CAFÉ COM LEITE (CAFEÍNA + CÁLCIO)
A cafeína impede a assimilação do cálcio. A absorção da caseína (proteína do leite) também fica comprometida em função da presença dos taninos do café. O ideal é consumir café e leite separadamente com um intervalo aproximado de duas horas.
O aproveitamento do cálcio será maior se o café corresponder a, no máximo, um quarto da mistura.

LEITE COM AVEIA (CÁLCIO + FIBRAS)
A absorção do cálcio presente no leite fica comprometida no preparo de vitaminas, iogurtes ou mingaus com aveia ou farelo de trigo. Esse mineral é importante para a formação dos dentes, dos ossos e das cartilagens, além de ser fundamental no combate à osteoporose. Os farelos como a aveia são ótimas fontes de fibras.
Tanto o leite quanto os farelos são mais bem aproveitados com frutas. Se a idéia for ter uma alimentação rica em cálcio, na hora de preparar uma vitamina coloque muito mais leite do que frutas.

RÚCULA COM MUSSARELA DE BÚFALA
A rúcula tem ferro e o queijo é rico em cálcio. Colocar muita rúcula aumenta as chances de o organismo não absorver nenhum dos minerais de forma adequada. Além disso, as fibras da rúcula "roubam" o cálcio do queijo.
No lugar da mussarela de búfala, opte por tofu, que, por ser feito com soja, e não com leite, não atrapalha a absorção de ferro.

HAMBÚRGUER + REFRIGERANTE (CÁLCIO/FERRO + ÁCIDO FOSFÓRICO)
Por si só estes dois alimentos já são ruim, mas vamos pensar que o hambúrguer foi feito em casa por vocês com carne moída e temperos naturais, todo seu trabalho pode ser estragado pela presença do ácido fosfórico, presente no refrigerante, que diminuiria a absorção do ferro da carne e “roubaria” o cálcio dos ossos!

ÁGUA + REFEIÇÕES
É válido lembrar que a ingestão de líquidos durante as refeições não promove a adequada absorção dos nutrientes alimentares pelo organismo. Fora que provoca uma sensação de estufamento.

Para finalizar, enquanto pesquisava encontrei um esquema interessante (já haviam me pedido para comentar este assunto, mas estou programando um post só para ela já que não é tão fácil de ser assimilada) é o de Carlos Grace, ele é o criador do Jiu-Jitsu e dedicou muito tempo de sua vida estudando a alimentação com a esperança de que ela pudesse resolver seus problemas de saúde (ele sofria de enxaquecas, pleura e gota) quando compilou seus estudos sobre alimentação acabou dando origem a Dieta Grace. A tabela mostra combinações boas/ruins de alimentos e vários exemplos dos mesmos.

Mas, você provavelmente você ficou com preguiça só de ver esta tabela. Pois é, realmente se manter saudável dá trabalho, mas calma vamos por partes. Comece eliminado os alimentos que não têm valor nutricional de sua alimentação regular antes de querer partir para a combinação alimentar. Achei estas perguntas bem legais:  Você não reserva tempo para cuidar da higiene? Dos estudos? Do trabalho? Por que não da alimentação, que é, no mínimo, tão importante quanto?


Espero que tenham gostado!!

6 de fev de 2015

HIDRATANTES E RESPECTIVAS IDADES

Olá novamente, nesta sexta feira, mais uma vez, tomei a liberdade de mudar o tema da coluna para falar de um assunto um pouquinho diferente, mas que também atinge a saúde dos pequenos e da sua família. Acho que vale a pena a abordagem do tema, já que estamos verão lembramos mais destes cuidados, mas fique sabendo que estes cuidados valem para o ano todo!! Hoje vamos conversar sobre os tipos de hidratantes e o tipo indicado para cada faixa etária, já que as alterações que podemos ter na pele com o sol e o clima, poderiam ser evitadas pelo uso do produto mais adequado.

Com isto, dizer que a pele precisa ser hidratada ao longo do tempo para manter-se macia e saudável já não é mais novidade para ninguém. O que pouca gente sabe, no entanto, é que esse tipo de cuidado deve ser realizado desde os primeiros anos de vida. Por isso, até mesmo os bebês precisam passar pelo ritual de hidratação, já que possuem uma pele mais fina e perdem água três vezes mais rápido do que uma pessoa na idade adulta.


BEBÊS (A PARTIR DE SEIS MESES)
Assim como todo tipo de pele, a dos bebês também sofre com a ação de fatores que estimulam o ressecamento cutâneo, como o sabonete e a água quente. Por isso, precisa ser hidratada uma vez por dia. IMPORTANTE: usar hidratantes específicos para os mesmos, com a finalidade de evitar irritação e alergias, já que os produtos direcionados ao público adulto contêm perfumes e diversos aditivos que podem causar irritação na pele da criança. Além disso, a concentração de ativos como a uréia, por exemplo, pode causar ardência. Os cosméticos específicos para os bebês já são hipoalergênicos e contêm menos corantes e perfume.
A partir desta idade também é indicado utilizar filtro solar adequado para os pequenos, mas apenas para crianças com mais de seis meses. Antes dessa idade, são indicadas medidas como evitar a exposição solar de 10h às 15h, e o uso de roupas para proteção.

NA INFÂNCIA
A partir dos cinco anos de idade, a oleosidade começa a aparecer, assim, hidratantes específicos e banhos menos quentes podem reduzir os problemas causados pela produção das glândulas sebáceas.
Caso a pele seja seca, é importante o uso de hidratantes próprios para a pele infantil, que é mais delicada. A utilização de protetor solar infantil (que têm maior fixação à pele e menor potencial alergênico) continua a ser necessária.

NA ADOLESCÊNCIA
Este sim é o período em que a pele costuma ser mais oleosa, a adolescência é marcada, muitas vezes, pelo surgimento de cravos e espinhas. Na prevenção da acne, é indicado o uso de sabonetes ou géis de limpeza específicos para eliminar o excesso de oleosidade, sendo importantíssima a etapa diária de limpeza da pele. Mas vale lembrar que mesmo com o desequilíbrio hormonal ser o maior contribuinte para o aparecimento da acne, a alimentação e mais hábitos de higiene podem agravar o problema. Deste modo, na duvida sempre consulte um profissional habilitado.

A PARTIR DOS 20
É nessa fase que as alterações no DNA causadas pelo sol ocorrem: as sardinhas até têm seu charme nessa época, mas são o anúncio de que as manchas e rugas estão a caminho se não proteger a pele daqui pra frente. Assim, o uso do protetor solar em todas épocas do ano é item obrigatório, além de diminuir a exposição ao sol. Nesta fase a limpeza é tão importante quanto á hidratação.

A PARTIR DOS 30
Aceitar o envelhecimento não quer dizer o fim da vaidade, mas sim cuidar que as mudanças sejam suaves e cheguem no tempo certo. Sim, pois um dia inevitavelmente você terá rugas - mas terá muito menos e muito mais tarde se usar protetor solar corretamente. Nesta idade, a esfoliação semanal começa a ser indicada assim como o uso de cremes específicos para idade.

PÓS-40
Começa a necessidade do uso de produtos mais complexos assim como a maior hidratação ao redor dos olhos.

PÓS-50
A pós-menopausa marca a diminuição considerável dos hormônios femininos, promovendo, assim, o maior ressecamento da pele. Deste modo, hidratantes mais consistentes e espessos, que contenham mais óleos e moléculas ativas, são indicados.

PARA TODA A VIDA
O filtro soldar deve ser nosso companheiro para toda a vida, independente da época do ano!!!

E uma última informação: o momento ideal para a hidratação é após o banho, já que até cinco minutos depois de sair da água, a camada mais externa da pele ainda fica umedecida, o que ajuda a selar a hidratação promovida pelo produto e a permitir que os ativos penetrem com mais facilidade e formem uma barreira capaz de impedir a perda da camada natural de gordura.

Gostaram??? Espero que sim!!!
Beijão para vcs